CONTO ERÓTICO

O dia amanheceu lindo, após seguidos dias de chuva e frio, era sábado e estava de folga nada de plantão no hospital e no consultório não marquei nada, iria aproveitar para organizar minhas coisas e tirar um lazer, afinal eu não era de ferro .
Pensei de como poderia otimizar meu dia para tirar o maior proveito, resolvi começar por levar o carro ao lava jato e aproveitar a cafeteria anexa para tomar um belo desjejum.
Quando cheguei havia uma pequena fila, peguei a senha de número quatro ,entrei no café e sentei próximo a vidraça que dava para o lava jato de onde poderia acompanhar todo o serviço no carro.

Sexo Por Telefone

Comecei a observar os lavadores de carro, eram cinco cada um tinha uma função, enquanto um ensaboava o carro outro limpava os vidros outro aspirava e assim alternando tarefas até completar a limpezas , finalizando com o polimento .
Ainda aguardava o meu pedido do lanche quando reparei que o rapaz que ensaboava o carro estava fazendo um sinal o que interpretei com perguntando se era o meu carro, balancei a cabeça em sinal negativo, já mostrando minha ficha com o número quatro. Ele respondeu com um sinal de positivo mostrando ainda um belo sorriso .
Tudo aquilo despertou minha atenção para aquele rapaz, que trabalhava de shorts e uma camiseta regata branca ,que na medida que se molhava demarcava seu corpo que era todo estruturado , ele era um moreno bronzeado com braços e pernas fortes visto facilmente que era um rato de academia , mas o que me chamava mais a atenção além do seu alvo sorriso era os seu ombros largos e confesso que me despertou um tesão , passando a observá-lo com atenção .
Notei que ele sempre me procurava com os olhos e inevitavelmente nossos olhares se encontravam , o que me deixava totalmente sem graça, inutilmente tentava disfarçar mas foram tantas vezes que resolvi sustentar um olhar e foi nesta
hora que reparei que ele levou disfarçadamente a mão em sua rola sob o shorts fazendo o movimento característico de estar ajeitando o pau na cueca.
Este movimento provocou em mim uma ereção como a muito tempo não tinha.
Parecia que minha pica queria saltar para fora, fiquei com o rosto queimando e senti minha transpiração aumentar com o calor provocado pelo tesão.
Não consegui avaliar se o movimento fora feito com intenção para me provocar ou simplesmente inocente , passei a observar mais .
No devaneio do meu tesão via cada cena em câmera lenta, deliciando com a espuma que ficava sobre seu corpo e as passadas de mão que ela dava para limpa-las ,movimentos que compunham um balé erótico, levando me ao delírio sentado à mesa .
Tudo isto me intrigava, não sabia se era apenas minha imaginação ou realmente ele estava usando de sedução , por diversas vezes me olhava e abria um grande sorriso que me hipnotizava.
Em fim chegou a vez do meu carro, mais uma vez ele com um aceno perguntou se era o meu é respondi por intermédio do sinal de positivo.Vi quando ele falou alguma coisas para os demais rapazes, imagino que pediu para caprichar.
Quando reparei que estavam terminando o polimento, fui ao caixa pagar o serviço e pegar o meu ticket de liberação do carro, queria chegar antes de acabarem na esperança de me aproximar do rapaz e entender melhor o que estava acontecendo .
Não o avistei, só encontrei dois rapazes terminando o polimento , disfarcei meu desapontamento e com a desculpa de querer dar uma gorjeta perguntei pelo demais e me contaram que haviam saído para a troca de turno, acabei dando dez reais para os dois que estavam lá e peguei meu carro. Tomado pelo o desânimo por não tê-lo encontrado entrei no carro, estava ajeitando o retrovisor e o banco ainda irritado, quando escuto baterem no vidro do carro , levando o olho e o rapaz já com as roupas secas estava parado ao lado do carro mostrando o seu sorriso sedutor .
Baixei o vidro com o coração aos saltos e antes mesmo que pudesse falar qualquer coisa escutei

⁃ Oi Dr.Fernando , gostou do serviço ?
Fiquei paralisado e intrigado como ele sabia meu nome.
Percebendo que não recordava voltou a falar

⁃ Com certeza não deve se lembrar de min, mas já fui operado pelo senhor a seis anos atrás, eu tinha só treze anos e mudei muito mas o senhor continua o mesmo , reconheci imediatamente que o vi sentado na lanchonete .

⁃ Desculpas mas são tantos os pacientes, embora raramente atenda a idade que você mencionou, me conta mais para ver se recordo.

⁃ Posso entrar porque não posso ficar batendo papo aqui

⁃ Lógico entra aí

Deu a volta pelo carro e entrou sentando no banco do carona, arranquei com o carro.

⁃ Para onde está indo?

⁃ Estou indo até a cidade universitária vou pegar uma camiseta para a maratona da semana que vem

⁃ Beleza,estou mesmo de bobeira hoje,eu te levo lá , mas conta aí está história para que eu possa me lembrar

⁃ Claro, o senhor não é Urologista ?
Confirmei com a cabeça

⁃ Meu nome é Eduardo, quando tinha 13 anos comecei a ter dores no pênis quando tinha uma ereção ,apesar da vergonha falei com meu pai , mas mesmo assim me recusava de mostrar para ele meu pinto.
⁃ Como ele já havia feito uma vasectomia com o senhor , por ter gostado muito do modo que o consultará e do bom resultado que obteve com a cirugia ,me levou para ser consultado pelo senhor. Na época eu tinha muita vergonha , mas o senhor consegui negociar comigo , mesmo assim impus uma condição que mostraria somente para o senhor , sem a presença do meu pai e ele concordou.

⁃ Lembro que apenas abri o zíper da calça e coloquei meu pênis para fora e a seu pedido tentei expor a cabeça do meu pau , não conseguido . Em seguida o senhor colocou uma luva e foi me examinar pedindo para que eu baixasse as calça por completo o que eu recusei a princípio mas o senhor foi tão gente boa que depois de alguns minutos obedeci e você pode me examinar

⁃ Seu diagnóstico foi de que deveríamos tentar com exercícios expor minha glande usando uma pomada para que ajudasse na dor ,depois disto ainda tivemos mais duas consultas antes de marcamos a cirugia, ainda mais duas após a cirugia . Por quatro anos o senhor era a pessoa que mas havia visto meu pênis . Agora relaxei de vez ,a toda hora estou pelado no meio dos amigos da equipe de natação ou mesmo no futebol .

O seu relato foi tão minucioso que acabei me lembrando da situação .
Recordando que o tamanho do seu pau pela sua idade havia me chamado a atenção, mesmo para um especialista como eu .

⁃ Agora me lembro de algumas coisas, desculpe mas faz tanto tempo e além do que nunca mais voltou, era uma criança e agora está um jovem adulto bem diferente daquele garotinho que compareceu no consultório. Fico feliz por ter dado tudo certo para você e de certa forma vaidoso por ser reconhecido por você .

⁃ Que nada, realmente o senhor não mudou , por uma razão que não saberia te explicar sua figura ficou marcado no meu subconsciente passando a fazer parte da minha história, apesar da convivência rápida , foi marcante .

Ainda o escutava,tentando avaliar todo o os fatos para ver aonde aquilo poderia nos levar, senti o carro diferente e escutei um barulho vindo da roda , notei que havia furado um pneu ,imediatamente encostei o carro. Estávamos em uma pequena estrada a caminhos do campus universitário tive que parar em um pequeno acostamento .
Minha reação foi de soltar um palavrão pois detesto trocar o pneu,preferindo ligar para socorro da seguradora, o problema que sempre demorava muito para chegar.
Eduardo se ofereceu para efetuar a troca .
Descemos do carro, pegamos o estepe , ele tirou a camiseta para não sujar, iniciou a tarefa pegando o macaco mecanico, mostrou se muito experiente , quando foi encaixar o macaco no carro não estava conseguindo encontrar o ponto certo para não danificar meu carro precisaria deitar no chão para localizar o local exato ,como estava de bermuda clara pediu se havia uma plástico ou uma toalha para forrar o chão evitando manchar a sua bermuda, não tinha mas lembrei que no porta mala estava minha mochila da academia que continha uma short que ele poderia usar , ele aceitou e fomos para a lateral do carro que dava para uma mata e ele tirou sua bermuda ficando de cuecas. Como se houvesse um ímã o meu olhar foi atraído para o seu volume
Na ora da troca se atrapalhou ,dando um tempo maior para observar aquele pacote enorme , colocou sua mão por dentro da cueca para ajeitar sua rola me deixando reparar seus fartos pelos, fiquei paralisado, totalmente sem ação babando .

⁃ Dr Fernando
⁃ Dr Fernando

⁃ Oi , pode falar

⁃ Nada, parecia que estava viajando

⁃ Desculpa é que estás situações me desconcentra , não sou habilidoso com estes serviços manuais

⁃ Deixa comigo já trabalhei em uma borracharia

Não conseguia acompanhar completamente o que dizia eu somente olhava aquele shorts que era pequeno e apertado para ele , deixando a mostra suas coxas grossas e musculosa isto sem contar que deixava sua mala maior ainda , e não consegui segurar,tive uma ereção violenta chegando a soltar secreção lubrificante .
Deitou ao lado do carro tentando encaixar o macaco ,agachei ao seu lado para acompanhar o serviço ,quando ele com uma das mão encaixava o macaco e com a outra novamente mexeu na rola que com certeza estava incomodando com o tamanho do short . Visivelmente seu saco estava divido ao meio pela costura deixando uma bola para cada lado estas cenas me levavam a beira da loucura de tanto tesão que cheguei a melar a cueca formando uma mancha na calça . Depois de encaixar o macaco o resto foi rápido trocou o pneu como um profissional .

Enquanto eu colocava as ferramentas e o pneu furado no porta mala ele ia se trocando, disfarçadamente eu acompanhava tudo ,assim que se livrou do short soltou um suspiro de alívio

⁃ Ahh! Este short estava me matando, minhas bolas estavam estranguladas, vou dar um mijão estou apertado

E sem falar mais nada ou ao menos dando o trabalho de se virar, sacou sua rola para fora e começou mijar em jatos forte fazendo um barulho enorme ao bater sobre as folhas no chão , não sei precisar quanto tempo demorou mas pareceram horas , no final chocalhou e balançou sua rola como um pêndulo de um hipnotizador ,percebi que tinha um prazer em exibir seu pau chegando a aumentar seu volume , só voltei a terra quando ele ainda com a rola na mão perguntou

⁃ Mudou bastante da época que o senhor operou ?

Desta vez investi com uma indireta certeira

⁃ Isto só posso dizer examinando mais de perto em um lugar mais apropriado

Ja preparava para pedir desculpas ou mesmo para fazer de desentendido, quando escuto

⁃ Se for uma consulta grátis pode ser agora ,deixo para pegar minha camiseta na segunda

Agora mais confiante e com certa malicia respondi

⁃ Se você não espalhar para os amigos que não cobrei nada pela consulta tudo bem , você sabe como é, grátis todo mundo quer

Entramos no carro e dirigi para minha casa. Durante todo o caminhos os dois não tocamos no assunto sexo , falamos sobre amenidades desconexas . Ao chegar em casa , mau fechei a porta e fui agarrado por Eduardo que quase me deixou sem fôlego com um beijo ,invadindo minha boca com sua língua e mutualmente íamos nos livrando da roupa .
Deslizei minha língua do seu peito a sua barriga curtindo cada centímetro, saboreando aquele cheiro de macho e com as mão masturbava sua rola que era enorme e engrossa o que aumentava o meu desejo , fui surpreendido quando ele me levantou e me conduziu no seu colo até o sofá, colocando me de bruços iniciando umas lambidas forte pela minha bunda procurando me penetrar com a língua , após lubrificar bastante meu rego introduzindo inicialmente um dedo iniciando um vai e vem e em seguida com dois , enquanto beijava minha nuca e acariciava minha costas com a outra mão.
Senti o calor da sua pica quando encostou a cabeça na entrada do meu orifício e com delicadeza mas com firmeza foi introduzindo cada centímetro daquele imenso mastro.
O tesão era indiscritível, estava perdendo a consciência e com a voz embargada comecei a falar frases eróticas como:

⁃ Que delicia ,quero ser fodido por você
⁃ Faz eu gozar pelo rabo
⁃ Me dê um tapa na bunda

Coisas que eu nunca tinha dito por achar uma baixaria ,mas a intensidade do tesao era tanta que precisava de alguma maneira extravasar ou iria explodir .
Em contra partida ele respondia

⁃ Putinha gostosa
⁃ Rebola para seu macho
⁃ Quero encher este seu cuzinho de porra

Gozei muito sujando toda a manta do sofá, logo depois senti seu corpo estremecer e seu sémen escorrer pela minha perna ,mesmo assim sua rola não baixou e ele continuava a bombar apertando meu corpo ao seu , quase desfaleci .

Edú, continuava a morder minha nuca e de repente parou ficando imóvel soltando um gemido alto e me enchendo novamente de seu sémen ,desmontando sobre meu corpo permanecendo imóvel até seu pênis amolecer .
Só depois de alguns minutos voltamos a falar, foi ele que quebrou o silêncio

⁃ Sabe desde a primeira vez que te vi senti tesao por você , não sei te explicar porque na época nem sabia o que era tesao ,mas contava os dias para as consultas na esperança de você manusear minha rola , depôs da operação aconteceram muitas coisas,como por exemplo meu pai foi despedido do emprego perdendo o plano de saúde , assim o tempo passou . Mas hoje quando te vi pela vidraça do café te desejei novamente, com a diferença de que agora sei conquistar o que quero.

⁃ Com certeza você soube mesmo jogar ,aquelas cenas no lava jato me seduziram a ponto de perder a compostura ainda tive a sorte do pneu furar

⁃ Se não fosse o pneu eu iria arrumar um jeito mas hoje você não escaparia

Voltamos a nos beijar e com as forças renovadas partimos para o abraço.

Dia de folga

O dia amanheceu lindo, após seguidos dias de chuva e frio, era sábado e estava de folga nada de plantão no hospital e no consultório não marquei nada, iria aproveitar para organizar minhas coisas e tirar um lazer, afinal eu não era de ferro .
Pensei de como poderia otimizar meu dia para tirar o maior proveito, resolvi começar por levar o carro ao lava jato e aproveitar a cafeteria anexa para tomar um belo desjejum.
Quando cheguei havia uma pequena fila, peguei a senha de número quatro ,entrei no café e sentei próximo a vidraça que dava para o lava jato de onde poderia acompanhar todo o serviço no carro .
Comecei a observar os lavadores de carro, eram cinco cada um tinha uma função, enquanto um ensaboava o carro outro limpava os vidros outro aspirava e assim alternando tarefas até completar a limpezas , finalizando com o polimento .
Ainda aguardava o meu pedido do lanche quando reparei que o rapaz que ensaboava o carro estava fazendo um sinal o que interpretei com perguntando se era o meu carro, balancei a cabeça em sinal negativo, já mostrando minha ficha com o número quatro. Ele respondeu com um sinal de positivo mostrando ainda um belo sorriso .
Tudo aquilo despertou minha atenção para aquele rapaz, que trabalhava de shorts e uma camiseta regata branca ,que na medida que se molhava demarcava seu corpo que era todo estruturado , ele era um moreno bronzeado com braços e pernas fortes visto facilmente que era um rato de academia , mas o que me chamava mais a atenção além do seu alvo sorriso era os seu ombros largos e confesso que me despertou um tesão , passando a observá-lo com atenção .
Notei que ele sempre me procurava com os olhos e inevitavelmente nossos olhares se encontravam , o que me deixava totalmente sem graça, inutilmente tentava disfarçar mas foram tantas vezes que resolvi sustentar um olhar e foi nesta
hora que reparei que ele levou disfarçadamente a mão em sua rola sob o shorts fazendo o movimento característico de estar ajeitando o pau na cueca.
Este movimento provocou em mim uma ereção como a muito tempo não tinha.
Parecia que minha pica queria saltar para fora, fiquei com o rosto queimando e senti minha transpiração aumentar com o calor provocado pelo tesão.
Não consegui avaliar se o movimento fora feito com intenção para me provocar ou simplesmente inocente , passei a observar mais .
No devaneio do meu tesão via cada cena em câmera lenta, deliciando com a espuma que ficava sobre seu corpo e as passadas de mão que ela dava para limpa-las ,movimentos que compunham um balé erótico, levando me ao delírio sentado à mesa .
Tudo isto me intrigava, não sabia se era apenas minha imaginação ou realmente ele estava usando de sedução , por diversas vezes me olhava e abria um grande sorriso que me hipnotizava.
Em fim chegou a vez do meu carro, mais uma vez ele com um aceno perguntou se era o meu é respondi por intermédio do sinal de positivo.Vi quando ele falou alguma coisas para os demais rapazes, imagino que pediu para caprichar.
Quando reparei que estavam terminando o polimento, fui ao caixa pagar o serviço e pegar o meu ticket de liberação do carro, queria chegar antes de acabarem na esperança de me aproximar do rapaz e entender melhor o que estava acontecendo .
Não o avistei, só encontrei dois rapazes terminando o polimento , disfarcei meu desapontamento e com a desculpa de querer dar uma gorjeta perguntei pelo demais e me contaram que haviam saído para a troca de turno, acabei dando dez reais para os dois que estavam lá e peguei meu carro. Tomado pelo o desânimo por não tê-lo encontrado entrei no carro, estava ajeitando o retrovisor e o banco ainda irritado, quando escuto baterem no vidro do carro , levando o olho e o rapaz já com as roupas secas estava parado ao lado do carro mostrando o seu sorriso sedutor .
Baixei o vidro com o coração aos saltos e antes mesmo que pudesse falar qualquer coisa escutei

⁃ Oi Dr.Fernando , gostou do serviço ?
Fiquei paralisado e intrigado como ele sabia meu nome.
Percebendo que não recordava voltou a falar

⁃ Com certeza não deve se lembrar de min, mas já fui operado pelo senhor a seis anos atrás, eu tinha só treze anos e mudei muito mas o senhor continua o mesmo , reconheci imediatamente que o vi sentado na lanchonete .

⁃ Desculpas mas são tantos os pacientes, embora raramente atenda a idade que você mencionou, me conta mais para ver se recordo.

⁃ Posso entrar porque não posso ficar batendo papo aqui

⁃ Lógico entra aí

Deu a volta pelo carro e entrou sentando no banco do carona, arranquei com o carro.

⁃ Para onde está indo?

⁃ Estou indo até a cidade universitária vou pegar uma camiseta para a maratona da semana que vem

⁃ Beleza,estou mesmo de bobeira hoje,eu te levo lá , mas conta aí está história para que eu possa me lembrar

⁃ Claro, o senhor não é Urologista ?
Confirmei com a cabeça

⁃ Meu nome é Eduardo, quando tinha 13 anos comecei a ter dores no pênis quando tinha uma ereção ,apesar da vergonha falei com meu pai , mas mesmo assim me recusava de mostrar para ele meu pinto.
⁃ Como ele já havia feito uma vasectomia com o senhor , por ter gostado muito do modo que o consultará e do bom resultado que obteve com a cirugia ,me levou para ser consultado pelo senhor. Na época eu tinha muita vergonha , mas o senhor consegui negociar comigo , mesmo assim impus uma condição que mostraria somente para o senhor , sem a presença do meu pai e ele concordou.

⁃ Lembro que apenas abri o zíper da calça e coloquei meu pênis para fora e a seu pedido tentei expor a cabeça do meu pau , não conseguido . Em seguida o senhor colocou uma luva e foi me examinar pedindo para que eu baixasse as calça por completo o que eu recusei a princípio mas o senhor foi tão gente boa que depois de alguns minutos obedeci e você pode me examinar

⁃ Seu diagnóstico foi de que deveríamos tentar com exercícios expor minha glande usando uma pomada para que ajudasse na dor ,depois disto ainda tivemos mais duas consultas antes de marcamos a cirugia, ainda mais duas após a cirugia . Por quatro anos o senhor era a pessoa que mas havia visto meu pênis . Agora relaxei de vez ,a toda hora estou pelado no meio dos amigos da equipe de natação ou mesmo no futebol .

O seu relato foi tão minucioso que acabei me lembrando da situação .
Recordando que o tamanho do seu pau pela sua idade havia me chamado a atenção, mesmo para um especialista como eu .

⁃ Agora me lembro de algumas coisas, desculpe mas faz tanto tempo e além do que nunca mais voltou, era uma criança e agora está um jovem adulto bem diferente daquele garotinho que compareceu no consultório. Fico feliz por ter dado tudo certo para você e de certa forma vaidoso por ser reconhecido por você .

⁃ Que nada, realmente o senhor não mudou , por uma razão que não saberia te explicar sua figura ficou marcado no meu subconsciente passando a fazer parte da minha história, apesar da convivência rápida , foi marcante .

Ainda o escutava,tentando avaliar todo o os fatos para ver aonde aquilo poderia nos levar, senti o carro diferente e escutei um barulho vindo da roda , notei que havia furado um pneu ,imediatamente encostei o carro. Estávamos em uma pequena estrada a caminhos do campus universitário tive que parar em um pequeno acostamento .
Minha reação foi de soltar um palavrão pois detesto trocar o pneu,preferindo ligar para socorro da seguradora, o problema que sempre demorava muito para chegar.
Eduardo se ofereceu para efetuar a troca .
Descemos do carro, pegamos o estepe , ele tirou a camiseta para não sujar, iniciou a tarefa pegando o macaco mecanico, mostrou se muito experiente , quando foi encaixar o macaco no carro não estava conseguindo encontrar o ponto certo para não danificar meu carro precisaria deitar no chão para localizar o local exato ,como estava de bermuda clara pediu se havia uma plástico ou uma toalha para forrar o chão evitando manchar a sua bermuda, não tinha mas lembrei que no porta mala estava minha mochila da academia que continha uma short que ele poderia usar , ele aceitou e fomos para a lateral do carro que dava para uma mata e ele tirou sua bermuda ficando de cuecas. Como se houvesse um ímã o meu olhar foi atraído para o seu volume
Na ora da troca se atrapalhou ,dando um tempo maior para observar aquele pacote enorme , colocou sua mão por dentro da cueca para ajeitar sua rola me deixando reparar seus fartos pelos, fiquei paralisado, totalmente sem ação babando .

⁃ Dr Fernando
⁃ Dr Fernando

⁃ Oi , pode falar

⁃ Nada, parecia que estava viajando

⁃ Desculpa é que estás situações me desconcentra , não sou habilidoso com estes serviços manuais

⁃ Deixa comigo já trabalhei em uma borracharia

Não conseguia acompanhar completamente o que dizia eu somente olhava aquele shorts que era pequeno e apertado para ele , deixando a mostra suas coxas grossas e musculosa isto sem contar que deixava sua mala maior ainda , e não consegui segurar,tive uma ereção violenta chegando a soltar secreção lubrificante .
Deitou ao lado do carro tentando encaixar o macaco ,agachei ao seu lado para acompanhar o serviço ,quando ele com uma das mão encaixava o macaco e com a outra novamente mexeu na rola que com certeza estava incomodando com o tamanho do short . Visivelmente seu saco estava divido ao meio pela costura deixando uma bola para cada lado estas cenas me levavam a beira da loucura de tanto tesão que cheguei a melar a cueca formando uma mancha na calça . Depois de encaixar o macaco o resto foi rápido trocou o pneu como um profissional .

Enquanto eu colocava as ferramentas e o pneu furado no porta mala ele ia se trocando, disfarçadamente eu acompanhava tudo ,assim que se livrou do short soltou um suspiro de alívio

⁃ Ahh! Este short estava me matando, minhas bolas estavam estranguladas, vou dar um mijão estou apertado

E sem falar mais nada ou ao menos dando o trabalho de se virar, sacou sua rola para fora e começou mijar em jatos forte fazendo um barulho enorme ao bater sobre as folhas no chão , não sei precisar quanto tempo demorou mas pareceram horas , no final chocalhou e balançou sua rola como um pêndulo de um hipnotizador ,percebi que tinha um prazer em exibir seu pau chegando a aumentar seu volume , só voltei a terra quando ele ainda com a rola na mão perguntou

⁃ Mudou bastante da época que o senhor operou ?

Desta vez investi com uma indireta certeira

⁃ Isto só posso dizer examinando mais de perto em um lugar mais apropriado

Ja preparava para pedir desculpas ou mesmo para fazer de desentendido, quando escuto

⁃ Se for uma consulta grátis pode ser agora ,deixo para pegar minha camiseta na segunda

Agora mais confiante e com certa malicia respondi

⁃ Se você não espalhar para os amigos que não cobrei nada pela consulta tudo bem , você sabe como é, grátis todo mundo quer

Entramos no carro e dirigi para minha casa. Durante todo o caminhos os dois não tocamos no assunto sexo , falamos sobre amenidades desconexas . Ao chegar em casa , mau fechei a porta e fui agarrado por Eduardo que quase me deixou sem fôlego com um beijo ,invadindo minha boca com sua língua e mutualmente íamos nos livrando da roupa .
Deslizei minha língua do seu peito a sua barriga curtindo cada centímetro, saboreando aquele cheiro de macho e com as mão masturbava sua rola que era enorme e engrossa o que aumentava o meu desejo , fui surpreendido quando ele me levantou e me conduziu no seu colo até o sofá, colocando me de bruços iniciando umas lambidas forte pela minha bunda procurando me penetrar com a língua , após lubrificar bastante meu rego introduzindo inicialmente um dedo iniciando um vai e vem e em seguida com dois , enquanto beijava minha nuca e acariciava minha costas com a outra mão.
Senti o calor da sua pica quando encostou a cabeça na entrada do meu orifício e com delicadeza mas com firmeza foi introduzindo cada centímetro daquele imenso mastro.
O tesão era indiscritível, estava perdendo a consciência e com a voz embargada comecei a falar frases eróticas como:

⁃ Que delicia ,quero ser fodido por você
⁃ Faz eu gozar pelo rabo
⁃ Me dê um tapa na bunda

Coisas que eu nunca tinha dito por achar uma baixaria ,mas a intensidade do tesao era tanta que precisava de alguma maneira extravasar ou iria explodir .
Em contra partida ele respondia

⁃ Putinha gostosa
⁃ Rebola para seu macho
⁃ Quero encher este seu cuzinho de porra

Gozei muito sujando toda a manta do sofá, logo depois senti seu corpo estremecer e seu sémen escorrer pela minha perna ,mesmo assim sua rola não baixou e ele continuava a bombar apertando meu corpo ao seu , quase desfaleci .

Edú, continuava a morder minha nuca e de repente parou ficando imóvel soltando um gemido alto e me enchendo novamente de seu sémen ,desmontando sobre meu corpo permanecendo imóvel até seu pênis amolecer .
Só depois de alguns minutos voltamos a falar, foi ele que quebrou o silêncio

⁃ Sabe desde a primeira vez que te vi senti tesao por você , não sei te explicar porque na época nem sabia o que era tesao ,mas contava os dias para as consultas na esperança de você manusear minha rola , depôs da operação aconteceram muitas coisas,como por exemplo meu pai foi despedido do emprego perdendo o plano de saúde , assim o tempo passou . Mas hoje quando te vi pela vidraça do café te desejei novamente, com a diferença de que agora sei conquistar o que quero.

⁃ Com certeza você soube mesmo jogar ,aquelas cenas no lava jato me seduziram a ponto de perder a compostura ainda tive a sorte do pneu furar

⁃ Se não fosse o pneu eu iria arrumar um jeito mas hoje você não escaparia

Voltamos a nos beijar e com as forças renovadas partimos para o abraço

Torne-se um membro e comente
Exclusive Gay Pornstars