Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Comi o coleguinha de minha filha

   Dia desses um dos colegas de minha filha veio aqui em casa procurando por ela que não estava, como ela já havia me dito que o tal garoto é gay, resolvi me aproveitar da situação e mandei ele entrar e esperar, pois ela não iria demorar. Estava colocando umas prateleiras no novo quarto da minha filha e pedi a ele que me ajudasse no serviço e que minha filha iria adorar saber que ele tinha me ajudado. Fui ficando de pau duro só de imaginar fodendo aquela bundinha carnuda e durinha e de vez em quando me colocava por trás dele para furar a parede, roçando o pau duraço naquela bunda.

   Ele não tentava sair e numa de minhas investidas forçou a bundinha pra trás e encaixou a pica no reguinho, então peguei em sua cintura e fiz com meu putinho sentisse toda a dureza da vara que estava prestes a invadir aquele cuzinho. Então com um movimento rápido peguei em sua cabeça e forcei para baixo no que ele logo entendeu e em segundos mamava minha pica como uma cadelinha no cio, só que seus dentes estavam arranhando a cabeça da vara e me incomodando, mandei que abrisse mais a boquinha e chupasse devagar, já que estávamos só ele e eu.

   Depois de algum tempo, coloquei meu gatinho apoiado na parede e baixei sua bermuda me deparando com uma bundinha branca e lisinha, mais bonita do que de muita mulher que já comi por aí. Passei a língua em volta e ele gemeu e disse: ai que delícia de língua gostosa, me chupa, me lambe, me come seu Leo que eu estou doidinho para dar o cuzinho novamente. Só dei uma vez e quero dar muitas outras. Hummm, que delícia, rabinho semi-virgem, adorei a notícia.

   Chamei meu putinho para outro local da casa e aproveitei para pegar o creme lubrificante e uma camisinha. Untei bem o rabinho a ser devorado por minha pica e comecei a meter bem devagar. Ele rebolava e fazia com que a pica fosse escorregando mais e mais para o fundo daquele cuzinho gostoso. Quando o pau estava todo lá dentro, segurei meu putinho pela cintura e passei bombar aquele cuzinho faminto por pica com vontade, ele gemia e pedia mais vara. Eu então o coloquei de quatro e soquei novamente o pau no rabo dele por mais algum tempo fazendo o gostosinho urrar de prazer, então deitei de costas e mandei ele abrir a bundinha com ambas a mãos e sentar arriando devagar o peso do corpo, mas o putinho estava com fome e sentou de uma só vez, dando um forte gemido.

   A vara sumiu mais uma vez naquele cu guloso. Meu putinho subia e descia com vontade, gemendo e me implorando para gozar dentro do cuzinho dele, mandei então que ficasse de quatro novamente e mandei a piroca mais uma vez rabo a dentro dando fortes estocadas, então ele gemendo me avisa que ia gozar, acelerei mais os movimentos e gozei sentindo as contrações que o rabinho dele fazia com o gozo que teve. Combinamos que aquele seria nosso segredinho e que repetiríamos por muitas outras vezes, então nos recompusemos e fomos terminar a colocação das prateleiras. Falei para o meu putinho que adoro uma bundinha vestida de calcinha fio dental e em todas as outras transas que tivemos ele usava calcinhas da irmãzinha dele que é uma gostosura.

Torne-se um membro e comente