Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

O vigilante da escola

   Ola pessoal me chamo Ricardo (ficticio) sou de Recife, o conto q vou relatar agora foi veridico aconteceu quando eu tinha 16 anos, hoje estou com 30, pois bem vamos ao que interessa:

   Era um domingo, eu estava sozinho em casa, se me lembro bem era um dia das mães todos tinham saído e eu estava sozinho em casa, de frente a minha casa existe uma escola e eu já sabia o horário que os seguranças trocavam de plantão, fui pro portão de minha casa esperar o vigilante do horário da noite passar para eu o vê-lo, mas ele tomou outro caminho e não o vi, quando estava no portão o vigilante do turno da manhã passou na rua e me cumprimentou, cumprimentei ele, e o mesmo foi embora, então pensei pó nem vi o que está no lugar dele, resolvi subir no muro da minha casa pra vê se conseguia olhar dentro do colégio, a frente de minha casa ficava localizada ao lado do colégio onde fica as piscinas, eu estava no muro quando vi alguém levantar os braços e tirar a camisa, fiquei em pé e o vi o segurança todo pelado já tomando banho na piscina, carraca eu tremi na base quando vi aquele homem pelado, tentei assubia pra ele, mas estava tão nervoso que meus lábios tremiam e não conseguia assobiar, passou um tempo e ele saiu da piscina e ficou se enxugando na beira dela, respirei fundo e consegui soltar um assobio, ele olhou pro lado, olhou pro outro procurando de onde estava vindo o assubiu, quando ele me viu, fiz sinal de legal com o polegar, ele ficou de costas, assobiei de novo, ele olhou e fiz sinal pra mamar ele.

   Ele se virou pro meu lado e começou a mostrar o pau, nossa fiquei doido, ai ele pegou as roupas e saiu da beira da piscina e foi se trocar longe dos meus olhares, fiquei triste pra caralho, já sem esperança de que iria rolar alguma coisa, se passou uns 15 minutos e eu ainda no muro de casa sentando, passou alguns carros na rua de onde eu moro, e ouvi um barulho de ferrolho de portão abrindo, olhei pro portão da escola e nada, baixei a cabeça, nisso passa um ônibus na rua, quando levanto a cabeça e olho pro portão tá ele lá em pé, já vestido, eu o encaro, ele olha pra mim, olha pros lados entra e deixa o portão encostado, na hora eu pulei do muro e fui ate o portão, Quando cheguei lá abri o portão ele, segurou no meu braço e disse: Entra porra! Arrastou-me pra uma sala de aula, me colocou sentando em uma carteira da sala e perguntou: o que você quer? Eu calado. Diga você quer o que? (perguntou de novo) Eu respondi já com medo, me deixa ir embora, porque daqui a pouco o pessoal de casa vai chegar e eu num vou esta lá, vão querer saber onde eu estava.

   Ele disse; vou sim deixar você ir, mas só depois q você mamar a mamadeira do papai aqui. Ficou de pé na minha frente e colocou aquela jeba pra fora uns 22 a 23 cm grosso, já bambo, comecei a engolir o pau dele o pau começou a inchar mais e mais na minha boca, daqui a pouco eu não estava mais aguentando a rola dele na minha boca, e ele falava vai veadinho, num era isso que você queria puto, mama vai porra, segurei a pika e comecei a mamar com gosto, ele adorou, então foi quando ele perguntou e se eu quiser comer essa bundinha ai você vai me dá? Eu disse num vou aguentar, ele respondeu: mas vai ter q aguentar, me pegou pelos braços, me jogou em cima do biro da sala, arriou meu short, cuspiu no pau e ficou forçando a entrada, eu comecei a gemer, falando que estava doendo, ele tampou minha boca e forçou mas ainda, quando dei por mim o pau dele já estava todo enterrando no meu cuzinho, foi a que ele falou esta gostando.

Eu disse estou, ele segurou na minha cintura e começou a bombar forte, ele estava um pouco bêbado dava pra sentir o bafo de álcool vindo da boca dele, foi quando ele falou vou gozar no teu cú puto safado, deitou aquele corpão de 1,95m em cima de mim, malhadão, tampou minha boca e atolou a pika bem forte e funda, senti o pau dele inchando e soltando porra quente dentro do meu cuzinho, em quanto gozava me abraçou que quase me quebra todo, eu magrinho na época, ficou por 2 minutos em cima de mim e a pika enfiada dentro, tirou o pau, me puxou e disse vai ali na piscina se lavar e vai embora, me lavei, me vesti e ele me colocou pra fora do colégio, vim embora pra casa, fui no banheiro e vi que sangrava um pouco, depois desse dia ele foi transferido pra trabalhar em outro local, mas eu o encontrei na rua umas 2x depois desse dia mas ele não falou comigo, foi uma da minhas melhores fodas que tive, depois disso fiquei com tesão em caras fardados, ainda hoje moro no mesmo local, transei com mas uns 4 vigilantes no mesmo colégio. Abração a todos.

Torne-se um membro e comente