Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Tanto tempo depois

   Bom dia Tenho 43 anos , casado 2 filhos uma vida profissional boa , á um mês atrás reencontrei um amigo do tempo da escola , naquela altura éramos muito amigos , passávamos imenso tempo juntos , muitas vezes ele dormia em minha casa ou eu na dele , na altura tínhamos brincadeiras intimas , ele tocava-me e eu a ele , muitas vezes masturbávamo-nos um ao outro , nunca fomos muito mais longe que isso.

   Uma ou outra vez chegou a se chupar um ao outro, havia uma grande cumplicidade entre nós, isto se passou entre aos nossos 13 e 17 anos, nessa altura os pais deles foram trabalhar para França e deixamos de ter contato, em 1998 soube que ele tinha regressado, mas continuamos sem contato até que á um mês o encontrei de novo, ele tinha respondido a um anuncio para um emprego da empresa onde trabalho , quando o vi reconheci-o logo e ele a mim , nesse dia foram almoçar juntos, passamos várias horas a pôr a conversa em dia, ele confessou-me que tinha bastantes saudades minhas que pensava frequentemente em mim, relembramos velhos tempos e relembramos também as nossas brincadeiras intimas.

   Chegamos á conclusão que nunca mais tínhamos trocado essa intimidade com outros, tanto eu como ele concordamos que tinha sido uma experiência boa e que sexualmente falando tínhamos sido o primeiro um do outro, tanto eu como ele confessamos que muitas vezes sentíamos falta desse contato, ele diz-me que sempre que a mulher o chupava se lembrava de mim, eu confessei que algumas vezes quando a minha me chupava também me lembrava dele, ambos tínhamos de ir embora, combinamos ir á noite tomar um copo juntos. Quando cheguei a casa contei á minha mulher o encontro e que depois de jantar ia tomar um copo com o Renato, fui ter com ele e fomos a um bar, como não podia deixar de ser voltou á conversa as nossas brincadeiras, quando reparamos estávamos os dois com os paus duros.

   Como que por instinto levei a mão ao dele e ele ao meu, ficamos a olhar um para o outro, demos uma gargalhada e tivemos os dois a mesma idéia ir matar saudades, saímos do bar e fomos para o meu carro, mal nos sentamos voltamos a tocar-nos, ele abriu-me a carcela e meteu a mão dentro das minhas calças agarrou-me a piça, olha-me e diz-me que estava cheio de saudades de agarrá-la, eu faço-lhe o mesmo, abro-lhe a carcela e agarro a dele, ficamos uns minutos a acariciar a piça um ao outro, tanto eu como ele estávamos super excitados, ele diz-me que estava a apetecer-lhe chupar-me, eu digo-lhe que também me apetecia chupá-lo , ali não dava , conversamos sobre para onde ir.

   Ele diz-me que podíamos ir para a antiga loja do pai dele, que estava fechada, mas que tinha luz e água e que ele fazia da loja armazém para as coisas velhas que inclusive tinha lá a antiga cama dele onde dormíamos quando eu ficava em casa dele, arranco com o carro , quando lá chegamos ele abriu a porta e entramos , realmente havia lá de tudo, móveis velhos, sofás, montes de caixas e a tal cama, sentamo-nos num dos sofás, ele abre-me as calças e desce-as agarra-me a pica e massageia , baixa a cabeça e chupa-me, foi uma sensação fantástica, chupa-me uns quatro ou cinco minutos, desço-lhe as calças e chupo-o eu, ele diz-me que eu o chupava melhor que a mulher dele que adorava sentir a minha boca no pau dele.

   Eu chupava-o com tesão, ele masturbava-me enquanto eu o chupava , de repente ele diz-me que queria que eu lhe fosse ao cu , que queria dar-me o cu , eu paro de chupar e pergunto-lhe se ele tinha a certeza disso , ele olha-me nos olhos e diz-me que sim , despimo-nos , pela primeira vez roço-lhe o cu , ele encosta-se a mim e faz força com o cu contra a minha pica , sinto a cabeça a entrar-lhe no cu , era muito apertado , ele diz que doía , tiro fora , ele fica desapontado e eu também , concordamos que era melhor arranjar um lubrificante , vestimo-nos e vamos procurar uma farmácia , havia uma de serviço relativamente perto , compramos um tubo de vaselina , voltamos á loja , despimo-nos e volto a meter a pica no cu dele , agora entrava melhor , ele diz-me para me meter todo nele , meto devagar , quando estava quase todo enfiado começo o vai e vem , ele gemia , diz-me para lhe comer o cu.

   Como uns 10 minutos, digo-lhe que estava a vir-me ele pede-me para me esporrar dentro do cu, esporo-me , ele delira , saio dele e ele agradece-me, olho para ele e digo-lhe que queria que ele me comesse também, ele põe-se atrás de mim e roça-me o cu, era uma sensação louca sentir a cabeça da pica dele a roçar-me o olho do cu, passa lubrificante, sinto a cabeça da pica a começar a entrar no meu cu, um misto de dor e de prazer invade-me, sinto um calor louco pelo corpo todo, a minha pica entesa novamente ele enquanto me comia o cu agarra-me na pica e masturba-me, nunca tinha sentido um prazer tão intenso, gemo como uma puta, ele dava gritinhos, era uma loucura, sinto a piça de ele a inchar e a esporrar-se dentro do meu cu, era uma sensação louca, ele sai de mim e abraça-me, ficamos abraçados uns minutos.

   Sinto a porra de ele a sair-me do cu, escorre-me pelas pernas abaixo, vamos lavar-nos, voltamos para o sofá, sentamo-nos, estávamos os dois com o cu dorido, ele diz-me que adorou ser encabado por mim, e digo que também tinha gostado, ficamos uns minutos em silêncio, só olhávamos um para o outro, ele toca-me na pica e diz-me que agora queria tê-la mais vezes, eu digo que também queria a dele, ele massagem entesa, ele chupa-me, pede-me para me vir na boca dele, digo-lhe para fazermos um 69 , fazemos , vimo-nos quase ao mesmo tempo , engolimos a porra do outro até á ultima gota , olhamos para o relógio eram 02h da manhã , vestimo-nos e vamos embora . Quando cheguei a casa a minha mulher já dormia, no dia seguinte pergunta-me como tinha corrido , digo-lhe que muito bem , que recordamos velhos tempos e que foi fantástico , hoje passamos muito tempo juntos , por vezes com as nossas mulheres e filhos.

Torne-se um membro e comente
rodape fixo Hotboys