Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Doeu muito, mas descobri algo novo!

   Sou um carinha discreto, 21 anos, 1,86m,70  kg, definido, loirinho, tenho mina, mas o que me aconteceu na última sexta-feira me fez duvidar sobre o que realmente curto. Estava saindo da faculdade, como sempre um dos últimos, pois tinha ficado no laboratório de informática e perdi a noção do tempo, me dirigia ao estacionamento. Estava meio deserta a rua, até estranhei, quando dei por mim um cara me seguia, era negro, uns 80 kg e 1,90 de altura.

   Logo entrei no estacionamento, peguei meu carro e sai, parei na saída, pois vinha um carro, foi quando vi o mesmo cara parado ao lado com uma arma na cintura me indicando para abrir a porta do passageiro, gelei na hora, mas fiz o que ele mandou. Sai com o carro e ele logo foi pegando o celular e a carteira, quando viu que não tinha muito dinheiro, sacou a arma e disse que iríamos dar uma voltinha mais prolongada enquanto decidiriam o que fariam comigo. Gelei mais uma vez, nessa hora ele me mandou parar e do nada, mais dois caras entraram no carro, me desesperei e comecei a chorar, ai eles começaram a me chamar de mocinha, e o que estava atrás de mim até me deu uns tapas me mandando calar a boca.

   Eles começaram a discutir, pois os que entraram disseram que não topavam seqüestro, que queriam só uma grana fácil. Até que um momento o negrão concordou com eles, fiquei aliviado, mas não por muito tempo, pois ele disse que não sairia no prejuízo. Começou a indicar um caminho e eu fui guiando, quando mandou parar, vi que estava em frente a uma construção. Arrancaram-me do carro e me levaram para dentro. Nem tive tempo de argumentar, me jogaram no chão e arrancaram minha calça, quando tentei me levantar senti o negão se jogar por cima de mim, e me segurando forte socou sua vara sem dó no meu cuzinho, gritei muito, pois nunca havia dado me sentia sendo rasgado.

   Socava violentamente, sem dó e eu só sentia dor e nojo, queria sair dali o mais rápido possível, de repente ele urrou e senti seu pau inchar dentro de mim, ele gozou muito, e falava no meu ouvido que ele adorava iniciar playboyzinhos como eu, e que eu sempre lembraria dele pois tinha enchido meu cú de porra. Levantou-se e falou para os outros me zoarem também. Um disse que não curtia cú de homem, só bateu uma punheta e socou o pau na minha boca me obrigando a engolir sua porra, e saiu.

   Já estava chorando por pensar que seria estuprado de novo, quando senti o cara me abraçar, me virou e do nada tentou me beijar, não deixei, e ele me abraçou novamente e disse para eu me acalmar. Nem sei porque mas comecei a ficar mais tranquilo, ele me levantou e pude me vestir, disse que iria me guiar até um local onde pudesse ir embora de boa, entrei no carro ainda com medo, quando ele entrou pude enxergá-lo direito, ele deveria ter uns 19 anos, moreno dos olhos verdes, um pouco mal vestido, mas me encantou, dava para perceber que era sarado, talvez por ser pedreiro descobri isso durante o percurso.

   Ele me pediu desculpas, e disse que não estava a fim de ter me feito mal, que só precisava de grana, pois tinha uma dívida com o negrão, e que só topou me assaltar pois foi coagido. Quando parei o carro ele novamente me pediu desculpas, e do nada me abraçou e me disse que eu era lindo demais, e que ele teria adorado se ele tivesse sido o meu primeiro, fiquei sem reação, pois gostei do abraço, e novamente tentou me beijar, só que dessa vez deixei que rolasse, e ficamos quase 15 minutos nos beijando.

   Ele me disse que iria me esperar nesse sábado na praça de alimentação de um shopping que tem lá perto, e que se eu fosse ele ficaria muito feliz. Sinceramente, estou sem saber o que fazer.

Torne-se um membro e comente