Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Cosmo o cara casado

   Era apenas mais um maçante dia de trabalho, eu trabalhava nessa época como analista de frota de uma multinacional do setor sucroalcooleiro, e apesar de não ter um cargo de encarregado ou de líder, eu era bem respeitado por todos. Pois no meu setor era apenas eu, e por sinal eu estava indo muito bem profissionalmente, conseguia manter toda a frota em ordem, quase que anulando os custos com manutenção corretiva, o que era visto com bons olhos pelos diretores da empresa. Na época eu tinha 21 anos de idade, 1,84 alt, pesava 80 kilos, moreno, cabelos negros curtos, olhos castanhos, nariz fino (meio empinado) sempre fui um homem com cara fechada, até pra manter minha aparência hétero fodedor que eu tinha.

   Enfim o que eu quero contar aconteceu justamente no dia em que havia decidido chutar o balde, apesar de ir bem era muita pressão em cima de mim, às vezes me sentia sufocado, já iria para dois anos de trabalho ainda sem tirar férias, pois bem, me levantei as 5:00 da manhã, tomei banho, café, e deixei um recado para a minha ajudante do lar dizendo que o pessoal da concessionária viria buscar meu carro para revisão, e fui para o ponto pegar o ônibus pois a usina ficava na zona rural, e a empresa disponibilizava transporte cheguei a usina, adiantei meu trabalho fui no financeiro pegar dinheiro, pois teria que vir a cidade pagar IPVA, de parte da frota, então agendei um carro para após o almoço, na hora marcada fui buscar o carro.

   A recepcionista me disse que um funcionário me acompanharia, pois como a importância que eu estava levando era considerável eu deveria levar um segurança disse que Ok. Quando olho para trás o cara que iria comigo, quase desmaiei... Era um homem loiro de 38 anos de idade, mais ou menos 1,95 alt e uns 100 kilos de pura excitação.

   Cumprimentamo-nos, me apresentei dizendo meu nome Frederico, mais conhecido como Fred ou Frede licia ele me disse seu nome que era José Cosmo, mais me pediu para chamá-lo apenas de Cosmo. Ele não sabia quem eu era mais eu o conhecia, sempre o via no refeitório da indústria, lindo e loiro, conversando e comendo, ficava admirando ele, mais discretamente, fomos para o carro, pedi para que ele dirigi-se, pois eu estava cansado, seria 1h e meia de viagem, então ficamos conversando pelo trajeto ele me disse que era casado tinha 2 filhos com idade inferior a 10 anos, e que era Eletricista predial.

   E que sua mulher estava grávida do terceiro e estava com 8 meses e que sexo nada, já havia 2 meses, mais me falou isso rindo, entrei no clima da brincadeira. Já próximo a cidade paramos em uma barreira policial acho que por ser próximo a um feriado deveria ser alguma operação daquelas pra evitar acidentes, ficamos um tempinho na fila o que eu achei ótimo, quando olhei próximo vi um senhor vendendo saco de laranja, desci do carro e comprei um pra gente, entrei no carro, e comecei descascar a laranja usando um estilete. Acho que chupei umas 5 laranjas, até que o cosmo disse – nossa você gosta mesmo de laranja né. .

   Na hora respondi. Se eu pudesse chuparia o dia inteiro, adoro ficar de boca cheia falei já com sentido sexual mesmo, queria que o negocio rendesse percebi que ele ficou sem graça e resolvi mudar de assunto, falamos de futebol, carros, filmes de ação e mulheres, quando finalmente entramos no assunto sexo. Falamos sobre tudo com mulheres quando ele percebeu que eu entendia do assunto ele solto, - Cara Pensei que você fosse homossexual. Mais tu entende mesmo sobre dar prazer a uma mulher.

   Daí não aguentou, e tive que falar Cosmo e se eu te falasse que sou bissexual, gosto de transar com mulher e com homem? Ele meio confuso com o que eu disse retrucou. Ou isso não existe ou o cara é macho ou não é. Disse para ele que não discutiria aquilo e passamos pelo posto policial, chegamos ao órgão responsável, fiz os procedimentos, fui a pé ao banco que era próximo. tudo no centro da cidade e ele no carro me aguardando.

   Quando retornei já com os documentos em mãos ele parecia serio, e com um ar de duvida, perguntei se tinha acontecido algo, ele só fez sinal de negativo com a cabeça. Então começamos o trajeto de volta em silencio, quando ele me diz – Não acredito que você fode com homens, nossa cara você parece tão macho, ninguém nem desconfia de você. O interrompi dizendo – E espero que não seja você quem vai contar isso pra alguém, ele me disse pra confiar nele, e começou uma sessão interrogatória – Como é Você Chupa, Já deu a Bundinha? Eu respondia tudo com a maior tranquilidade. Ele continuou – Nossa você deve dar muito esse cuzinho, porque sem viadagem você é um cara boa pinta, deve está chovendo macho na sua horta.

   Dei uma risada e falei que nada, só fiquei com dois caras até hoje, e só dei para um deles, quando falei isso o cara ficou descontrolado, perguntei o que estava havendo, então me surpreendi com a resposta – Nossa estou sem foder há dois meses, e você me diz que curti uma putaria, e que só deu uma vez, nossa sempre quis comer um cú mais as mulheres, nunca querem dar, e você um cara discretão pra caramba, estou pensando seriamente em te foder. Perguntei pra ele se era serio, ele me disse que sim, mais que não ia me beijar nem me chupar, que só queria foder minha bunda. Retruquei dizendo – Não disse que vamos transar outra coisa se você só quer comer um cú, você pode pagar alguém, eles não beijam na boca, eu particularmente não consigo fazer sexo sem ao menos beijar a pessoa, antes que ele respondesse pedi para que fosse a minha casa ou me ligasse quando quisesse conversar sobre a possibilidade de transarmos.

   Voltamos para indústria, à semana terminou e nada dele falar comigo. Domingo estava em casa lavando o carro, quando olho pro portão quem está parado me observando, O Cosmo, dei um sorriso bem aberto, que foi imediatamente retribuído, abri o portão ele entrou, já era quase hora do almoço ele veio falando está aqui sozinho, quase que me enrabando disse que sim, que morava sozinho, entramos pela sala, ele me empurrou contra a parede e me deu um beijo de macho forte, com gostinho de bala de menta.

   E prensou o seu corpo contra o meu, senti se pau se apertando contra meu abdômen fiquei louco comecei a abrir sua calça na hora seu pau saltou pra fora esquentando minha barriga, ele já veio sem cueca, enquanto eu admirava aquela rola, ele terminava de se despir e me pediu – Fred, por favor, me chupa, obedeceu na hora, cai de boca naquela rola, era grande e grossa. Tinha 18x6 cm e cheirava a macho, chupei com vontade, estava decidido a ser o melhor boquete da vida dele, ele soltava uns gemidinhos abafados, como se estivesse envergonhado.

   Nossa chupei um bom tempo, e ele nem fazia menção de gozar, parei de chupar e me despi, e então o segurei pela rola e fomos caminhando para o meu quarto, chegamos ao quarto ele começou a me dizer putarias tipo – seu puto, você não sai da minha cabeça, estou me masturbando pensando em você todos os dias, agora vou matar minha vontade desse cu, olhei com uma cara bem safada pra ele e disse – estou morrendo de vontade de ver o que você é capaz de fazer bonitão, ele me jogou de costas na cama, e enfiou a língua no cu meio que me abraçando por trás, estava muito gostoso meu pau estava bem duro, ele lambia, chupava e mordia minha bunda, lambuzando ela toda de saliva, até que me disse – eu quero-te foder agora, falei pra ele por a camisinha e fazer o que quiser que eu fosse dele sempre que ele quisesse isso o deixou mais fissurado ainda.

   Ele veio pra cima de mim, e só com o lubrificante do preservativo e sua saliva foi forçando a entrada, doía demais o ar ate me faltava, eu queria gritar, mais abafava apenas rangendo os dentes, quando olhei para trás com os olhos cheios de lagrimas, isso pareceu um troféu para ele que e um burro, enfiou a cabeça e o resto do pau escorregou para dentro, e ele nem me deu espaço para respirar e começou a bombear, a dor não parava, mais vinha uma sensação prazerosa junto à dor, que a amenizava, quando ele me segurou pelo quadril e subiu nas minhas costas, sentiu uma pontada no rabo, ele então começou a morder minha orelha, arranhar minhas costas, me abraçou por trás e começou um movimento ritmado, porem rápido e forte.

   E ele não perdia o pique, seu corpo batia contra o meu, aquilo era muito gostoso, comecei a apertar sua rola dentro do meu cu, e gozei, mais gozei muito, meus joelhos ficaram até bambos, e ele La fodendo, ate que acelerou muito as bombadas, quando eu ia gritar ele tirou a rola de uma única vez arrancou o preservativo, me puxou pelo cabelo, e banhou meu rosto com sua porra, grossa e quente, foram quatro jatos fortes de porra, seguidos por alguns mais fracos, caímos miúdos na cama lado a lado, ate que ele tomou a iniciativa e me deu um beijo amoroso e demorado, levantamos e fomos para o banheiro, debaixo do chuveiro ele segurou meu rosto e ficou me olhando fixamente nos olhos, quando perguntei o que era ele me disse – Eu não quero esquecer-se de nenhum detalhe do seu rosto quero sempre me lembrar do que vivi hoje.

   Então falei pra ele que não seria necessário se esforçar pra eternizar esse momento, pois se ele quisesse poderíamos fazer isso sempre que ele precisasse. Ele me sorriu e sem dizer nada me abraçou, e assim começou minha historia com ele, a única coisa que me deixa triste às vezes, é que ele é casado mais isso a gente supera.
Isso era apenas um conto, ou seja, ficção mais quem gostou me add para trocarmos uma ideia.

 

Torne-se um membro e comente
rodape fixo Hotboys