Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Carona para o policial

   Meu nome é Marco (nome fictício) tenho 26 anos, sou moreno claro, 1.75, 70kg, olhos e cabelos castanhos, pernas grossa, um pouco peludo, bunda gostosa. Vamos ao conto: Sábado passado era aniversário de uma amiga homossexual na casa da namorada dela na Praia Grande.  Comprei um presente e uma revista gay para sacaneá-la. Coloquei o presente em cima do banco do passageiro e a revista embaixo do pacote. 

   Quando estava já na estrada percebi que esqueci o endereço da casa da namorada em casa e meu celular não estava dando sinal. Fiquei puto da vida porque não queria voltar.  O posto policial perto de São Bernardo estava chegando e pensei em parar no posto e pedir ao policial para ligar a cobrar mesmo para minha amiga e pegar o endereço. 

   Encostei o carro e sem nenhuma má intenção pedi ao senhor se poderia usar o telefone e ele muito simpático permitiu. Só me perguntou para onde estaria indo e respondi que para o boqueirão.  Ele saiu da sala e me deixou a vontade usando o telefone. Quando terminei logo entrou e perguntou se não poderia dar uma carona até o boqueirão para seu colega de trabalho que já estava indo embora. 

   Respondi que sim e ele me pediu para eu aguardar um pouco. Quando entra um negrão fardado e muito gostoso e já entrou me agradecendo. Não pensei em segundas intenções porque tenho muito medo em dar um fora, mas claro que fiquei imaginando eu e esse cara transando bem gostoso. 

Fomos até o carro abria a porta e ele foi entrando e tirando o pacote do banco colocando do banco de trás. Estava tão passado que havia até esquecido da revista, quando ele olha e pergunta se pode também colocar a revista no banco de trás.  Peguei a revista na hora da mão dele e guardei no porta-luvas muito sem graça. Ele entrou e perguntou se estava indo alguma festa de aniversário e respondi que sim. 

   Ele perguntou se aquela revista também era o presente e respondi que era também para sacanear minha amiga porque ela era homossexual. Até ai respondia sem olhar para cara dele porque estava morrendo de vergonha.  Ele perguntou na maior cara de pau se eu também era gay e respondi que sim, mas que não eram esses veados. Ele falou: Na boa cara, posso dar uma olhada na revista? Respondi que sim. 

   Abriu o porta  mala e começou a folheá-la quando de repente me perguntou se é verdade que homossexual chupa melhor que mulher. Eu respondi que não sei por que nunca havia sido chupado por mulheres. Ele na maior cara de pau disse:Cara estou de pau duro e morrendo de vontade que você chupe meu pau. Faria isso por mim?  Respondi que sim encostei o carro e chupei loucamente colocando aquela pica negra inteira na minha boca fazendo movimentos de vai e vem bem devagar quando aparece do nada um cara da Ecovias e fica olhando com o pau pra fora batendo uma no meio da estrada. 

   O policial abriu o vidro e falou para o cara. Amigo esse carinha chupa como ninguém e o cara respondeu se eu poderia chupar ele também.  Respondi que sim e entramos no meio da mata na serra e comecei a chupar os dois loucamente e eles urrando de tanto tesão até gozar bem gostoso na minha boca.  Me deram os seus telefones e pediram para eu ligar para combinarmos novamente. Se algum policial, bombeiro, segurança, médico se interessou com este conto pode me ligar e se quiser marcar algo. 

Vou passar meu telefone mas não passem trote porque tenho rastreado. Meu fone: nine,one,eight,six,five,eight,three,six

Torne-se um membro e comente