Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Meu primeiro e nico amor

   Bem essa parte da minha vida, vinha guardando na minha memória, mais depois do ocorrido resolvi compartilhar com as pessoas. Desde que esta seção de contos foi lançada na Hot Boys, eu leio e fico pensando quais sejam verdadeiras e as que são falsas. Agora eu vou a julgamento, mais essa é a minha verdade.

   Aos 16 anos eu era um cara retraído e caladão e sempre na minha. Na escola eu tinha um amigo, seu nome verdadeiro Armando, que na época tinha seus 17 anos.

   Sempre que possível íamos fumar um cigarro escondido numa sala que só tina mesas e cadeiras quebradas, e entre todas as mesas e cadeiras arrumamos um canto próximo a janela onde não poderíamos ser visto.

   Mesmo que ninguém fosse na sala, fizemos um bom esconderijo para fumar um cigarro escondidos e na paz. Naquele tempo já tinha minha preferência por homens, mais ficava na minha. E assim cheguei aos 16 anos completamente virgem.

   Em uma de nossas fugas para nosso esconderijo para fumar nosso cigarro, começamos, ou melhor, Armando começou a falar de sua ultima transa com uma amiga dele próximo a sua casa. Fiquei todo ouvidos para aquela história que acabou me deixando cheio de tesão.

   E como ele contava tudo nos mínimos detalhes, em determinado momento comecei a me imaginar no lugar da garota. Ao final da história Armando me mostrou como estava excitado, mostrando seu pau duro sob a calça. Dei uma boa olhada e achei seu pau bonito e imaginei mil coisas.

   Mesmo tendo mudado de assunto, sempre que podia eu dava uma olhada para o pau do meu amigo. Teve uma hora que eu dei mole e como ele já devia ter notado, me perguntou se eu tinha gostado, e ao mesmo tempo segurava o pau ainda meio duro. Meio sem ação gelei na hora e fiquei mudo. 

   Foi ai que ele tirou o pau para fora e mandou-me segurar. De onde eu estava fiquei parado, então ele pegou minha mão e sem fazer força o deixei levar meu braço e segurei seu pau com a mão. O que gostei de imediato.

   Logo depois ele me mandou sentar em uma cadeira e chegou seu pau bem perto da minha boca, que eu afastei de imediato. Ele me levantou e bem rápido me deu um beijo, desse que deixa a gente de perna mole. Principalmente por ser o primeiro beijo.

   Então ele falou no meu ouvido que aquele seria nosso segredo e que eu não devia ter receio, pois aquele era só o começo. Depois disso sentei na cadeira e como se tivesse obedecendo a uma ordem fui colocando aquele membro na boca e me acostumando com seus 17 centímetros bem duro e roliço. 

   Após alguns minutos ele deu uma gemida e com o auxilio da mão começou a se masturbar gozando dentro da minha boca. No momento seguinte com a boca cheia de porra e sem saber o que fazer, ele deu um sorriso e falou para eu beber.

   Meio sem jeito e com certa vergonha obedeci. Após isso ele me deu outro beijo e saímos sem trocar uma palavra. Depois de duas semanas praticamente se falar um com o outro, Armando se limitava apenas a dar uns sorrisos.

   Pensei que ia terminar daquele jeito e que tudo tinha sido apenas um momento.  Um pouco depois dessas duas semanas, Armando me chamou para sua casa para passar a matéria da prova, como isso já era comum, fui ao dia e hora marcados.

   Afinal também não teria problema, pois sua mãe sempre estava em casa. Bati na porta e fui recebido por Armando que pediu para eu ir para o quarto, entrei e coloquei os livros na mesa do quarto e fiquei esperando.

   Ouvi barulho de agua no banheiro e percebi que ele estava tomando banho, alguns minutos depois ele me chamou e ao entrar me falou que sua mãe ia voltar tarde e que nós poderíamos terminar o que começamos na escola.

   Meio que tonto e no automático, tirei a roupa e entrei no box. Ali fui tocado beijado, acariciado. Após um bom banho ele me levou para o quarto e me deitou na cama, falei que era a minha primeira vez, e ele falou que já sabia e que eu deixasse tudo com ele, que eu nunca iria esquecer aquela tarde.

   Realmente nunca esqueci. Ali pude descobrir como ele era experiente. Ele me deixava mole e a cada novo toque, beijo, dedos eu gemia de forma que não sabia que um homem poderia gemer com outro homem.

   Ficamos assim por bom tempo, até que ele me virou de bruços e me lubrificou primeiro com sua língua e depois passando um creme/gel. Nesse momento vi que seria dele. Fiquei imóvel aguardando sua investida, sentia um pouco de medo, mais o tesão era tanto que não via a hora de sentir ele dentro de mim.

   As primeiras investidas foram sem sucesso, pois eu sentia muita dor, ele percebendo isso ia bem devagar e me beijava a boca, lambia meu pescoço e mordia minha orelha bem devagar, Numa mistura de desejo e tesão eu ia relaxando e empinando minha bunda para ele.

   Após uma boa relaxada pude sentir a cabeça de seu pau dentro de mim, e dei um gemido mais alto, ai ele foi entrando devagar e fazendo movimentos de vai e vem até ficar totalmente dentro de mim.

   Mesmo doido mais já bem acostumado com seu pau dentro de mim, Armando foi me colocando em diversas posições, e a cada vez me fodia com mais força e quanto mais eu gemia mais ele fazia força.

   Não sei dizer quanto tempo durou, mais em determinado momento senti sua respiração aumentar e logo depois pude sentir seu gozo dentro de mim. Depois de um tempo ainda dentro de mim ele foi saindo devagar, me puxou para deitar em seu peito e com a mão ficou alisando minha bunda.

   Ficamos assim entre caricias e beijos. Após um longo beijo, falei para ele que eu não teria escolhido uma pessoa melhor para aquele momento que foi mágico. Então ele me deitou de lado e começou me penetrar de novo, e mesmo bastante ardido fui deixando, estando dentro de mim de novo ele começou a me masturbar.

   Gozei como um louco ao mesmo tempo em que sentia aquele pau dentro de mim. Fomos para o banho e entre mais beijos e caricia ele tentou mais uma vez, porém pedi desculpa e falei que ele poderia fazer sempre, mais em outra hora, pois estava muito dolorido apesar do prazer.

   O jeito foi o deixar gozar na minha boca pela segunda vez, e beber todo seu leite. Tivemos um relacionamento por mais dois anos, na escola éramos amigos e na cama ótimos amantes onde realizamos todas nossas fantasias sendo sempre ele como ativo, e que ativo.

   Prestamos vestibular, Armando passou e foi para outra cidade com os pais. E eu fiquei no Rio. Perdemos o contato e agora após 14 anos nos reencontramos.

Torne-se um membro e comente