Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

O vendedor da loja famosa

   Sou casado, mais de 40 anos, tenho esposa e filhos. Vivo muito bem com a família. Porém ninguém sabe do outro lado que curto, ou seja, homens. 

   Um dia conheci um vendedor de uma loja de marca famosa onde fui comprar uma camisa para presentear meu filho. Lá conheci um vendedor que chamarei ficticiamente de Adriano.

   Ele me atendeu muito bem e, após algum tempo, reparei que se tratava de um garoto muito bonito, 20 e poucos anos, lábios carnudos, pernas grossas que deixavam transparecer em sua calça colada, além de braços e bíceps malhados. Um tesão. 

   Certo dia deparei-me com ele andando de bicicleta e, do meu carro, percebi que deu bola pra mim. Dei ré e, quando vi, o seu short verifiquei que estava de pau duro. Aquilo me deu uma vontade louca de ficar com ele. Peguei sua bicicleta, coloquei no meu carro e ele entrou. Um tesão. Conversamos e ele me disse que era comprometido, tinha um namorado mas que, vez em quando, fazia um programinha extra.

   Imaginei logo numa transa com ele e estava já, também, de pau duro. Partimos para um motel e, lá chegando, fomos tirando nossas roupas enquanto nos esfregávamos e, em seguida um beijo de língua. 

  O cara era lindo, completo: umas pernas bem torneadas, malhadíssimo, uma bunda linda, perfeita. Como sou ativo ainda estava em dúvida do que ia rolar pois o cara tinha um pau muito grande e grosso e estava com medo dele querer me penetrar.

   Depois de vários beijos e chupadas, fizemos um 69 e, para a minha surpresa, como disse que era casado ele percebeu que era ativo e, então me disse: Posso ser passivo para você. 

   Pronto aquilo completou a minha excitação. Estava louco de tesão e já fiquei doido para penetrar aquele cuzinho. Ele então pegou uma camisinha, daquelas que retardam o efeito de gozar e em seguida, ficou de quatro a posição que adoro e ele mesmo colocou meu pau no seu cuzinho, pedindo, porém que metesse devagar pois disse que poderia doer. 

   Obedeci prontamente e fui penetrando com carinho até que entrou todo o meu pau, não muito grande e ele disse que o meu pau era o tamanho ideal e que queria gozar junto comigo. Ai começou a penetrar com mais força e peguei no seu pau que estava bem duro e ele foi à loucura.

   Depois de certo tempo, estava quase gozando e ele começou a bater uma punheta bem acelerada e, logo percebi que estava gozando, pois senti o seu cu apertando meu pau e aí gozei junto com ele. Uma delícia. 

   Ele pediu para não tirar o pau do seu cu, ficamos um bom tempo assim e comecei a beijar sua nuca o que o deixava todo arrepiado. Foi uma das fodas que mais gostei e ele também disse que gostou muito. Nos encontramos várias vezes e sempre transávamos e gozávamos juntos. Ele se mudou e nunca mais o vi.

 

Torne-se um membro e comente