Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Meu primeiro negro pauzudo

   Vou começar este conto pedindo que entendam o título. Não minha primeira relação com homem e sim meu primeiro encontro com um negro dono de um caralho enorme e muito grosso. 

   Certo dia, se eu não estiver enganado numa sexta-feira por volta das 22h, eu estava voltando do trabalho e como trabalho em Goiânia e moro em Aparecida de Goiânia, levo cerca de 30 minutos do meu trabalho até minha casa, isso claro, com um transito vazio, o que era o caso nesse dia, mas como eu estava de boa e sem pressa pra chegar em casa, estava indo bem devagar. E certo trecho do caminho, isso já em Aparecida eu avistei de longe caminhando na avenida um rapaz negro e aquela visão me fez pensar em algumas sacanagens. 

 

   Ao passar pelo rapaz vi que ele era bonito, mas fiquei quieto e percebi que ele ficou me encarando, então decidi em um retorno próximo, fiz a conversão, voltei e passei pelo belo negro novamente. Como novamente ele olhou, parei o carro mais a frente e fingir estar atendendo ao telefone, mas sempre o observando pelo retrovisor.

 

   Quando ele se aproximou passando por mim eu disse. Tá indo pra onde? Ele parou e falou. Você está falando comigo? Sim, eu disse. Perguntei pra onde você está indo.  E ele falou.  Aqui perto na casa da namorada. Então eu disse, que pena. Mas se quiser te deixo lá perto e ele aceitou a carona. Ao entrar no carro, vi que ele realmente tinha traços muito bonito e meio malhadinho também, dai fui direto ao assunto e perguntei. Você tem mesmo que ir agora pra casa da sua namorada? E ele respondeu ela está me esperando, mas como estou a pé sempre demora mais. 

 

   Logo entendi a deixa e fiz outra pergunta. Já transou com homem? E o negão me olhou como uma cara tão safada, que eu já sabia a resposta, mas ele respondeu sim, já fiz muito veado chorar no meu pau. Assustei e falei. Chorar? Como assim? Dai o negão enfiou a mão na calça e tirou pra fora não um pau, mas um cacete que mais parecia uma taca de jumento de tão grande e grosso que era. 

   São 23 cm de tamanho por 18 de espessura. Então ele falou, vê agora porque eu disse que já fiz muito veado chorar no meu pau? Então eu respondi será que serei mais um e ele respondeu não sei. Esta a fim de encarar? Vou lá, eu disse. E segui em direção a uma rua por trás de uma escola, rua deserta de tudo, não passa ninguém mesmo, descobrir o local depois de rodar bastante atrás de um lugar tranquilo. 

 

   Então ao encontrar essa rua parei o carro e saímos, ele tirou a calça e a cueca, ai sim eu vi o real tamanho do caralho do negro. Um pau bem reto, muito grande e muito grosso, deu certo receio, pois eu nunca tinha ficado com nenhum cara com o pau daquele tipo, mas comecei a mamar aquela pica como se tivesse chupando o mais dos deliciosos picolés existentes e falei pra ele se eu não aguentar teu pau vamos ficar só na punheta e te chupando. Certo? 

   Ele falou de boa, mas quero te foder, você tem a bunda bem gostosa, eu prometo que coloco bem devagar, eu sei que tenho um monstro aqui no meio de minhas pernas. Então beleza vai tentar. Chupei mais um pouco aquela rola, colocou a camisinha, lubrifiquei bem com creme e fiquei de quatro, ele logo começou a meter em mim e doeu muito. 

 

   Falei tira que esta doendo e ele atendeu, foi uma dor muito grande, mas eu estava doido no caralho do negão, esperei um pouco e disse, vai mete de novo, e ele começou a meter e novamente a dor eu disse tira e ele respondeu, calma não meter mais mas também não vou tirar até você acostumar e ele ficou parado alguns segundos e enfiou mais um pouco ao ver que eu não reclamei ele forçou a barra e meteu o resto do pau de uma só vez e me prendeu pelo quadril pra eu não tirar o cacete de dentro do meu cu. 

   Só me restou a dar um grito meio que abafado para não fazer barulho e chamar a atenção do vigia da escola, foi a pior dor que senti em toda a minha vida até hoje. Ele ficou parado com aquele monstro atolado em mim por uns dois minutos e começou a bombear bem devagar, ainda doía muito, mas depois relaxei e comecei a sentir prazer, o filho da puta ao perceber isso começou a bombear mais forte e cada vez mais e eu num misto de dor e prazer nem sabia mais o que estava sentindo, só sei que estava muito gostoso e ele socando fundo. 

 

   A cada socada que ele dava eu soltava um gemido de dor, ele só falava que rabo gostoso de foder, e aguentou tudo, que delicia cara vou encher teu cu de porra, vou te deixar arrombado, e eu já tomado pelo prazer dizia. Mete seu puto, mete teu pauzão todo no meu cu e gozei com o pau do negro dentro de mim. 

 

   Dai não aguentei mais as socadas e falei tira que eu não aguento mais, como ele viu que tinha gozado, tirou o pau de dentro do meu cu, foi uma sensação de alivio muito grande, ele mandou eu chupá-lo até que ele gozasse e assim eu fiz só não deixei ele gozar na minha boca por que acho nojento, mas ele me deu um banho de porra no peito que escorreu até a minha barriga. 

 

   O único problema foi o pós foda. Fiquei quase uma semana sentido dor, era difícil até ir ao banheiro. Mas foi uma foda maravilhosa e eu mais o Fábio continuamos a nos encontrar mais vezes. Só deixamos de nos ver por que ele se envolveu em umas paradas erradas e se fodeu, acabou indo pra cadeia.  Se você é um negão de responsa e tem um cacete grande e grosso e esta afim de uma boa sacanagem entra em contato.

Torne-se um membro e comente
rodape fixo Hotboys