Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Com o namorado do amigo Portugus

   Chamo-me Junior, sou Brasileiro e estilista de uma importante marca de prêt-à-porter tenho um amigo meu português, sempre nos falamos, ele trabalha com fotografia e sempre ficava falando da terrinha, que tinha saudades e etc. Mais até então nada em mente de ir para lá, até que recebemos o convite para participar do evento de moda, Portugal Fashion, que seria na cidade do Porto.

   Mais que depressa, liguei para o Luís contando que iria a Portugal, ele então ficou feliz por mim mais disse que adoraria ir, mais nem eram férias do trabalho, disse para ele que havia dado jeito nisso, e que ele seria o fotografo da marca, que faríamos campanha publicitária lá e que queria ele para fotografar.

   Ele quase morreu de felicidade passados os dois meses, estamos de malas prontas para Portugal Luiz era um homem lindo. Alto com 1,90 alt, uns 80 kilos, cabelos curtos 22 anos, branco, olhos verdes e com um mega sotaque. Já eu sou moreno, 1,84 alt, 85 kilos, rosto com traços delicados, porém másculos, olhos castanhos escuros, cabelos no estilo militar, e voz grave, e 20anos no ramo que trabalho passo despercebido, muitos acham que nem sou gay.

   Fomos ao aeroporto, e embarcamos, chagamos em Portugal, fomos para cidade do porto. Lá quem nos recebeu foi um rapaz muito simpático, vou chamá-lo aqui de Jorge, Ele estava de carro e nos levaria ao hotel, conversamos um pouco, o suficiente para saber que o Jorge era gay, percebi isso por pequenos gestos que ele fazia, e a forma como olhava as pessoas, enfim, Jorge era um cara extremamente legal em minutos de conversa já tinha adorado ele mais no entanto ele era militar, e tinha retornado de uma missão pacificadora, entrei no hotel, estava exausto, enquanto Luiz e Jorge matavam saudades, eles tinham estudado juntos.

   Enquanto eles tricotavam eu fui para minha sessão diária de beleza, assim que sai do quarto, eles haviam combinado de ir jantar, então tive de concordar, já que não havia muito o que fazer. Sai na parte da tarde, fui ao ateliê de uma designer conhecida, elaborar minha coleção, acaba que enrolei durante toda a tarde e nem fui jantar com eles, ficamos trabalhando ate tarde, era muito a se fazer em pouquíssimo tempo.

   No outro dia, de manhã mesma coisas deixou o Luiz na piscina do hotel e fui trabalhar, na hora do almoço já tinha terminado tudo, o resto eram só detalhes que as costureiras mesmo poderiam fazer, já que não interferiria muito no conceito que havia criado, na parte da tarde fui passear sozinho pela cidade fui ao Shopping cidade do porto, andei por varias lojas, comprei algumas coisinhas, quando dei por mim já eram 5 da tarde, voltei para o hotel, tomei um banho dali a meia hora entra o Luiz.

   Dizendo-me pra arrumar, pois iríamos sair, tinha comprados roupas novas mesmo, e estava ansioso para sair, pois ainda ouvia o barulho das maquinas de costura e já estava bastante ansioso com os desfiles que viriam ainda tinha que fazer Casting, provas de roupas queria mais era sair e distrair, e como achei o Jorge uma companhia bem agradável beleza me produziu e foi. Chegamos a um restaurante, com nome um tanto quanto engraçado chamado Pedro dos Frangos.

   Era tipo um PUB, daqueles ingleses eu adorei, notei que tinha uma pessoa nova no grupo, era um amigo do Jorge, ele nos apresentou o rapaz, vou chamá-lo de JC, sentamos pedimos e ficamos a comer uma entrada enquanto esperávamos, dentre risadas, zuações de ambas as partes por causa do sotaque, hora e meia eu via que o namorado do Jorge ficava me encarando, ele era uma delicia, tinha 1,80 alt, pesava 70 kilos.

   Corpo super legal, cabelo meio cumprido, e uma cara de safado que nossa... Ele tinha o típico rosto dos modelos europeus um tanto quanto feminino, era uma carinha de menino sapeca, mais já tinha 18 anos de idade no momento em que vi o cara, pensei em chamá-lo para o desfile mais fiquei na minha, naquela noite não queria pensar naquilo, e o Jorge poderia achar ruim eu fazer uma proposta daquelas para o namorado dele, já estava ficando meio excitado com o carinha me olhando toda hora.

   E já tinha gostado do Jorge como pessoa não queria fazer uma sacanagem dessas com ele enfim mais nem morto que eu mexeria com o namorado do cara, até porque ele era militar, não podia apanhar em hipótese alguma, meu rosto é o meu ganha pão enfim, estávamos a comer quando sinto algo roçar em minha perna, com muita descrição olhei por debaixo do forro da mesa, era a perna do JC, nossa cheguei a engasgar, fiquei de pau duro na hora, como o forro era cumprido o namorado dele nem percebia o que ocorria ali debaixo.

   Ele percebendo que eu estava gostando, tirou o calçado e agora passava os pés na minha perna e como eu estava de bermuda, era toque de pele, ele ficava me olhando me desejando com os olhos enquanto seu namorado falava comigo, ele alisava o cabelo do Jorge, enquanto percorria meu corpo com a perna, estávamos em uma mesa de canto então ninguém via nem ele alisar o namorado muito menos a minha perna, terminei de comer, e nessa altura seu pé já acariciava meu membro que pulsava de tão duro dentro dos shorts, levantei e fui ao banheiro, quando já saia entra o JC no banheiro e me empurra para de um Box.

   Meu coração disparou perguntei o que é que ele estava fazendo, ele me respondeu que só estava terminando o que havia começado embaixo da mesa, minha respiração ficou ofegante, e fui quase sufocado por um beijo, estava tão gostoso que fiquei com as pernas bambas, e ele começou a me alisar, percorrer meu Corpo com as mãos até que chegou a região abaixo do meu umbigo, foi desabotoando meus shorts, minha respiração ofegava, e ele dominava a situação, mordia minha orelha, passava a mão na minha bunda, comecei a virar o jogo encostei ele na porta, puxei seus cabelos fui mordendo sua nuca, aranhando suas costas, abaixei sua calça quando olhei aquela bunda.

   Nossa que delicia, queria comer ela de qualquer jeito, era uma delicia, nem grande demais, nem pequena fui abaixando até chegar naquela bundinha, metia a língua sem medo, fiz um cunete perfeito, beijava, mordia e chupava aquela bunda, queria ela de qualquer forma, notei que ele era virgem o que me deu mais excitação ainda, salivei bastante os dedos e fui forçando o fiz curvar as costas, e fui passando a língua nas bolas dele e vindo ate o reguinho, nisso ele gemia, quando coloquei dois dedos, ele começou a se contorcer nos meus dedos e a gemer, então quando senti que estava tudo livre pra mim, e fui mordiscando suas costas ate chegar à nuca.
Então o virei de frente e vi que seu pau estava muito duro, o beijei com volúpia mais uma vez, e perguntei se ele queria dar pra mim, o cara era tão safado que já estava ate com camisinha no bolso, ele disse que iria usar com o namorado mais que se eu quisesse poderia estrear ele, nossa era isso que eu precisava ouvir, virei ele de costas de novo.

   Encaixei e fui empurrando, falei para ele relaxar que a sensação de desconforto passaria logo, fiquei forçando um pouco ate que parei, esperei ele relaxar, e quando ele ficou com a guarda abaixada empurrei e entrou tudo de uma vez, minha sorte é que alguém tinha entrado no WC isso o fez abafar o grito, ou um possível xingamento fiquei lá parado com meu pau duro dentro dele, enquanto ele ficava fazendo uns movimentos meio que esmagando meu pau lá dentro, queria que aquela pessoa saísse logo, eu queria bombear aquela bundinha, quando senti que a porta fechou.

   Dei uma forçada nas costas dele, fazendo-o curvar e iniciei um movimento de vai-e-vem puxando seu cabelo não poderia demorar muito, então comecei a literalmente foder a bunda dele ele colocava a mão na boca tentando abafar os gemidos, fiquei fodendo uns 10 minutos ate que acelerei os movimentos, senti as pernas de ele tremerem e sua bunda apertar meu pau lá dentro, ele tinha gozado, seu gemidos e movimentos, me fizeram gozar dentro dele, enchi o preservativo de porra, tirei meu pau de uma vez, fazendo levar a mão na bunda, tirei a camisinha limpei meu pau com papel higiênico.

   E sai do banheiro, voltei pra mesa, cinco minutos depois, lá vem ele, ele se sentou fazendo uma cara meio de desconforto mais disfarçou bem, me deu uma vontade enorme de rir, mais me segurei, quando o Luiz me perguntou aonde tinha ido, disse que estava conversando com um rapaz que tinha encontrado, o Jorge nada falou, nisso o JC, beija o Jorge na boca, novamente me deu vontade de rir, pois me lembrei daquela boquinha no pau, minutos atrás ele beijava o cara, e me alisava embaixo da mesa, o cara era um puto de primeira eu deixei, já que tinha tirado a virgindade dele o mínimo que poderia fazer era o deixar brincar com meu corpo né, saímos de lá, andamos um pouco conversamos rimos mais um bocado ate que finalmente decidimos que era hora de partir, mas que no outro dia sairíamos para almoçar, tomar sorvete e assistir algum filme no cinema do shopping.

   Na minha cabeça eu já sabia que no outro dia haveria putaria de novo, nos despedimos, e quando ele foi me abraçar me disse ao ouvido enquanto alisava minha bunda – Amanhã é você quem vai dar Ok. Como quem não entendeu nada, disse tchau, ate porque o cara estava ali, o namorado dele. Então nos viramos e fomos embora. Em um próximo conto, eu relato pra vocês como foi o dia do shopping.

jsfj1990@hotmail.com

Torne-se um membro e comente