Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Meus cunhados safados

   Em uma ilha linda e maravilhosa localizada nas proximidades de Belém do Pará chamada Paquetá foi onde tudo aconteceu. Eu tinha 19 anos e em um belo dia frio resolvi andar na praia, era por volta de dez da manhã. 

 

   Sentei e comecei a admirar o mar, quando dê repente surgi meu cunhado, moreno 35 anos corpo de deus, bem apanhado e bem safado. Sentou ao meu lado e disse: linda paisagem! Concordei com ele. O mesmo estava vestido com uma camiseta branca e uma calça de moletom. Seu peitoral estojado quase a amostra. 


   Ficamos calados por alguns minutos só escutando o barulho do vento e da água na área. Então novamente ele disse que a noite foi muito fria e que tinha acontecido uma coisa que até ele tinha ficado impressionado. 


   Perguntei o que tinha lhe deixado assim. Ele respondeu: -mesmo com tanto frio meu pau ficou duro a noite toda e ainda não conseguir amolecer. Sem jeito perguntei por que não tinha amolecido já que era casado e estava dormindo com minha irmã na mesma cama. 

 

   Sua resposta foi: queria algo que ela disse nunca vai me dar. Fiquei com o pensamento a mil e excitado, ele estava sem cueca e a tora a amostra por baixo da calça ainda. Então perguntei o que? A bundinha, sou louco por um cuzinho, e sorriu dizendo quem sabe hoje não como um? Disse quem sabe! 

 

   Com a situação, me despedi e fui para casa, foi quando percebi que não tinha ninguém se não eu e meu cunhado chamado Ciro, que estava ainda na praia. Entrei no quarto em estases, com pouco de medo pois ainda era virgem, mais aquela conversa sussurrava em meus ouvidos, foi quando novamente ouvir uma voz pedindo pra entrar, disse que tudo bem mais era pra porta ficar aberta. 


   Tive uma visão de algo pontudo abaixo do umbigo dele, o mesmo disse olha como você me deixou lá na praia quando virou de costas pra mim. Chegando perto da cama ele tirou a pica pra fora da calça, imaginem 23 cm grossa e com uma pinta escura bem na cabeça que parecia gotas de chocolate. 

 

   Disse a ele que nunca tinha feito aquilo com homens. Ele disse pra eu relaxar e curti. Não deu outra, ele sentou na cama e disse me chupa! Quase me ordenando. Cai de boca, de repente ele levantou e disse já volto. Quando voltou trouxe camisinhas, lubrificante e um pepino. 

 

   Disse o que vai fazer com este pepino? Vou enfiar em você para acostumar, ai enfio meu pau devagarzinho, pode ser? Sim, disse. 
Ele me colocou de quatro, lubrificou meu cuzinho, começou enfiando o dedo, em instantes estava com os 4 dedos dele dentro de mim. Ai ele disse agora está pronto pra levar o pepino. Enfiou devagar o pepino, sentir uma dor horrível, mais ao mesmo tempo um tesão de louco, ele fez movimentos de vai-e-vem. 


   Ouvir sua voz dizer pronto agora vou enfiar meu pau em você, vou fazer devagar, não tenha medo. Lubrificou mais ainda e começou a enfiar seu pau, neste momento tomamos um susto, meu outro cunhado de 42 anos, gordinho mais também muito safado e gostoso disse festa e vocês não me convidaram, vocês são muito egoístas, adoro festa deste tipo. 

 

   Ele tem 17 cm de pau, imagine uma garrafa de Coca-Cola de 600ml, é a grossura, fiquei todos sem jeito quando o vi. Ele se aproximou dizendo para não paramos, fechou a porta tirou a roupa e disse esse veadinho vai me chupar gostoso e levar muita pica. Ciro era mais carinhoso, já Mário mais violento, pois acreditem se não fosse assim não seria gostoso obtivemos um equilíbrio. Mário segurou no meu cabelo e disse engole essa pica. Seu desejo era uma ordem. Chupei feito louco, foi quando ele disse quero este cu também. 

 

   Estava todo ardido e sangrava um pouco, mais não parei já que estava no fogo resolvi vira cinzas. Mário deitou na cama e disse senta puta e sem frescuras. Gente, fui sentando devagar quando sentir uma mão na minha cintura e me empurrou para baixou gritei de dor. 

 

   Mário disse para Ciro enfiar na minha boca me calando com a pica e sussurrou fresco frouxo. Neste momento relaxei e disse vou te mostra quem e frouxo. Mesmo sentindo dor comecei a cavalgar e chupar a pica de Ciro, Mário gritava dizendo: isso, isso come estas picas, sua vaca, vadia, vagabunda e puta, quando de repente ele disse vou gozar e gritava esporrando aquela porra no cu que ficou inundado. 


   Ciro logo também anunciou seu gozo e jorrou na minha garganta toda sua porra. Os dois ficaram em exstasse, que seus paus não amoleceram, foi quando Mário começou a me chupar e disse tira a forra e me arrebenta veadinho, ficou de quatro e eu ainda sangrando mais com muitas tesão, enfiei nele sem pena meus 20 cm, não é grosso mais bem cumprido. 

 

   Ele rebolava e dizia isso assim, foi quando Mário disse e você Ciro vai ficar ai só olhando traz esta tora que vou chupar, neste instante Mário virou uma puta tarada por pica e dizendo quero sentir essa pica dentro de mim. Já sou acostumado, sempre fazemos isso veadinho, me deixando ciente que os dois faziam sexo cotidianamente. Tirei meu pau de dentro de Mário e Ciro enfiou o dele, então Ciro disse me come que eu como ele. Enfiei no cu de Ciro. 


   E Ciro enfiou no cu de Mário, fudemos feito loucos. De repente Mário disse tira esta pica que quero leite na boca, Ciro tirou a pica de dentro de Mário e disse eu também quero leite e você e quem nos vai dar. Nunca tinha gozado dentro de uma boca imagina de duas. 


   Não aguentei, gozei feito louco dentro daquelas bocas que disputavam que engolia mais. Deitamos na cama cansados. Fudemos mais umas duas vezes neste dia, pois a galera começou a chegar a partir das 20 horas. Perguntaram como foi meu dia. Respondia que tinha sido maravilhoso. Todo dolorido no cu, mas muito satisfeito com meus cunhados. 

 

   Até hoje fazemos umas sacanagem, lógico que agora com toda cautela para não desconfiarem. Sempre viajamos os três juntos, pois trabalhamos na mesma empresa e rola muito sexo, em uma de nossas viagens fizemos sexo dentro do carro e um outro amigo estava dirigindo, eu também participou, mais está e outra historia. somos amantes uns dos outros.

Torne-se um membro e comente
rodape fixo Hotboys