Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Hora Extra

Sou mais conhecido como Lutty e já faz mais ou menos uns dois anos e meio que trabalho numa distribuidora de produtos alimenticios. É uma empresa familiar e no escritório trabalha apenas eu e o filho do dono, Emerson. Desde que comecei a trabalhar na firma percebi como Emerson olhava para os outros empregados e como me passou a olhar e logo percebi que o negócio dele não era mulher. Depois de um ano de firma passei a ter mais intimidade com os dois rapazes que trabalhavam no setor de estoque e logo fiquei sabaendo que os dois enrabavam o patrão todo dia. Suas narrativas me deixaram de pau duro e com uma louca vontade de comer ele também, que apesar de ser "homem" tinha uma bunda de fazer inveja a muita mulher, e ele colocava só calças apertadinhas que marcavam bem sua bundinha. A cada dia que passava minha vontade de comer aquela bundinha ia aumentando e então passei a conversar mais com ele e quando estavamos sós a contar minhas transas com minha namorada, e com outras mulheres. Ele ficava muito interessado e percebia o modo como ele olhava para o volume que se formava em minha calça. Após um certo tempo, depois de um bate papo ele me perguntou se eu já havia tido uma relação com outro homem, respondi que não, mas disse que talvez pudesse experimentar um dia para ver como era. Ele ficou com uma cara muito alegre e percebi que logo traçaria aquela bundinha. E não deu outra. Esperei mais uns dias até ter tudo como queria, e numa terça-feira comecei a enrolar o serviço e fui então obrigado a ficar depois do expediente, como o pai de Emerson não gostava que funcionário ficasse sozinha na firma, pediu que Emerson ficasse comigo até eu acabar o serviço. Quando todos foram embora Emerson começou a puxar papo comigo sobre transar com outro homem e derrepente este começou a passar as mãos em minhas costas dizendo que ele poderia me mostrar como era meter com outro homem. Ele desceu suas mãos até meu pau que estava durissimo e passou a acaricia-lo. Logo me virei e tirei meu pau para fora da calça e ele então sem cerimônia abaixou-se e começou a chupar todo meu pau. Ele era muito hábil e fez uma chupetinha para mim que até então foi a melhor, tendo ele engolido toda minha porra. Rapidamente ele se levantou e tirou toda sua roupa e apoiou-se na mesa deixando para mim aquela bundinha toda lisinha, que era mais gostosa do que de muita mulher, e pediu que eu o enrabasse logo. Apesar de estar com o pau semi flácido tentei enfiar nele, mas não consegui, e ele se abaixou e com uma chupadinha o deixou ereto de novo e então pude mete-lo todo dentro daquele cuzinho vermelhinho. A medida que eu aumentava o ritmo ele trancava mais e mais seu cuzinho, parecia até que arrancaria meu pau. Gozei dentro do cuzinho dele e me deitei no chão do escritório, onde Emerson passou a alisar meu pau. Ele não estava satisfeito e disse que eu teria que dar pelo menos mais umas duas com ele. Assim que meu pau ficou duro novamente, ele se sentou em cima dele e pediu que além de come-lo tocasse uma punheta para ele. Fiz isso e senti pela primeira fez um pau estranha em minhas mãos, e até que o pau dele era grande. E assim enfiando e punhetando ele chegamos ao orgasmo juntos. Estavamos exaustos e para não dar muito na cara fomos logo embora. Tudo isso aconteceu em setembro do ano passado e até hoje faço hora extra! 

Torne-se um membro e comente