Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Viado bom de Cu

Sou Renato e tenho 28 anos, moro aqui em Campo Grande MS, trabalho como eletricista e dia deste fui convidado pra fazer um orçamento na casa de uma amiga de minha tia, chegando lá bati palma e um rapaz atendeu, era jovem e seu jeito afeminado que me chamou atenção, afinal além de um rapaz bonito tinha uma bandinha bem arrebitada que fez minha imaginação viajar, sempre gostei de provar um delicioso cuzinho e ainda mais de um gayzinho todo gostoso como aquele.

Sou moreno, corpo forte devido meu trabalho braçal como pedreiro, encanador, eletricista rsrsrsr e por ai vai...

De imediato fiz o orçamento e comecei a bater um papo com aquele rapaz; voz de bicha e jeito de mamador, perguntei de sua mãe e ele disse que estava trabalhando, perguntei das mulheradas e ele dizia que não curtia.

Dei uma risada e fiz um charme arrumando meu cacete.

- É disso que você gosta?

Putz... sabia que o cara era chegado num cacete, entao ele ja estava de joelhos caindo de boca na minha piroca de 19 centímetros, fazia um tempo que não recebia um boquete tão gostoso como aquele. O cara sabia mamar!!!

- Isso viado mama meu cacete, engole tudinho. Chupa minhas bolas.

Era uma delícia sentir aquela boca gostosa engolir todo meu pau, ele mamava muito eu estava ofegante, sentia sua língua caminhar sobre meu pau, gemia gostosamente sobre seu engolir minhas bolas; ouvimos um barulho e era uma vizinha, rapidamente nos ajeitamso e logo perdi a oportunidade de comer aquele cuzinho.

Deixei o orçamento no qual ja tinha meu whatsapp e ficamos de marcar um lance. Não demorou pra ele me chamar e dizer que estava louco pra dar o cu pra mim, me mandou fotos de seu cuzinho que foi acrementado a uma punheta em sua homenagem.

Marcamos de ir num motel e que o pegaria depois da faculdade e assim fui; eram 22 horas e fui lá, estacionei o carro na frente da Uniderp; a porta abria e era o viadinho gostoso que ao trancar a porta me fazia carinho, o jovem além de gostoso tinha um jeito que me agradava, sempre quando comia um cuzinho me relutava em beijar outro cara; mas com aquele era diferente... seu jeitinho afeminado me levava as alturas e entao o beijava, sentia o gosto do seus lábios, suas carícias e seu jeito de ser delícia, liguei o carro e parti para o motel mais perto.

Chegando lá uma suíte bacana e uma transa que não seria mais uma aventura da noite, mais sim prazer mútuo.

Aquele cara já me deixava louco com sua mão caminhando sobre meu corpo e meu cacete sendo seu brinquedo do prazer, meu pau estava explodindo de desejo e seu cuzinho era meu alvo; beijei sua boca e logo o coloquei de quatro na cama.

Aquele rabao gostoso era observado a meia luz, aquele anelzinho lindo era dedado e minha língua já caminhava sobre aquele cu gostoso, lambusava seu anelzinho quente o vendo gemer.

Meu cacete parecia uma pedra e então com aquele cu todo lambusado comecei a forçar a entrada, ouvia ele pedindo pica e então cada centímetro que entrava ele se contorcia de vontade, bem diferente dos viado que comi, pois esse levava pica por vontade e prazer e não aqueles cheio de charme que com mero 19 centímetros ficava fazendo charme pra dar.

- Esse sabe dar a bunda; pensava eu...

Via meu cacete entrar e sair e aquele jovem gemendo com prazer. Enfiava até a bolas no seu rego e ele urrava, beijava sua boca e curtia ver seu cu todo regacado por meu pau, entra e sai e sai...metia fortemente nele.

Aos beijos fazia ele gemer nas estocadas e então era de frango assado que queria faze-lo chorar na minha rola.

Deitado de perna apoiada no meu peitoral via como aquele cu estava deflorado e era prazeroso ver aquele burraco judiado, enfiei meu pau e ouvi ele pedir pra socar e assim o fiz, metia com força aos beijos judiava daquele viadinho gostoso.

Ali estava prestes a gozar, retiro meu pau da sua bunda e apontando pra sua cara o fazia ser todo melecado pelo meu gozar... sua língua espichava pra não perder nenhuma gota eu o beijava e curtimos ali o momento.Dei com o cacete na cara dele o fazendo curtir e lamber a cabeça da minha rola. Limpava deliciosa meu pau e fazia dele seu objeto de prazer. Nós beijamos e juntos finalizamos uma transa inesquecível.

O ponteiro marcava onze da noite e então éramos só carícias, o momento era eu, um cara bem resolvido deitado e beijando outro macho, nem ai pra bagaça, afinal nada melhor que um cuzinho pra um gozar diferente.

Caio, este era o nome dele, falou que foi muito bom e que queria repetir aquele momento, me fiz de difícil mais também queria, tomamos banho regado a sexo e desejo e o deixei a uma quadra sa sua casa, chegando em casa fui relaxar e curtir um filme.

No outro dia era nove da manhã recebo um telefonema e era Ingrid mãe de Caio aprovando o orçamento, e ai eu recebia a confirmação de mais uma foda a com aquele rapaz.

Torne-se um membro e comente