Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Eu, Paulo e Beto

Durante cinco anos, mantive uma relação com um cara, que chamarei de Beto, e morávamos juntos no mesmo apartamento. Mas o que eu quero narrar mesmo, não são as nossas transas, e sim quando tínhamos algum amigo para compartilhar uma boa foda. E com um desse amigos, foi assim:
Um dia qualquer, eu estava em um shopping aqui em Salvador, onde a paquera rola solta...isso eu não vou nem entrar no detalhe da pegação no banheiro. E foi no banheiro que eu vi um cara e logo me interessei: cerca de 1,87m, claro, forte, calvo e um pau delicioso, que era exibido com um pouco de constrangimento e timidez. Mijei (sim, eu realmente queria mijar), dei aquela balançada demorada olhando para ele, e saí; ele fez o mesmo e saiu atrás de mim...nos apresentamos, e vou chamá-lo de Paulo; disse que era casado, tinha um filho, mas que gostava muito de sexo com homens; para a minha alegria, ele disse que era exclusivamente ativo...meu interesse aumentou ainda mais. Dei a ele meu fone e disse para me ligar dois dias depois; esse foi o tempo que eu conversei com meu namorado e ele topou, pois ele sempre foi tarado por sexo a três.
Quando Paulo ligou, conversamos mais um pouco e convidei-o a vim até o nosso apartamento; ele topou e meu pau logo cresceu...meu cu piscou de alegria.
Quando ele chegou, meu namorado o recebeu e ele se mostrou meio constrangido; depois de algumas cervejas, aí que o negócio ficou bom; colocamos um filme pornô hetero, eu sentado no sofá no meio dos dois...comecei a alisar o pau do meu namorado, que é bem grosso e cabeçudo e logo estava mamando ele...Paulo, cheio de tesão, alisava minha bunda, dava uns tapinhas e se revelava um amante e tanto...safado, levemente sádico e fogoso. Colocou seu belo pau pra fora e só aí me dei conta da dimensão da sua pica: uns 21cm, cabeçudo, muito grosso, porém mais fino na base...ele balançou tudo pra mim e me ordenou: 
- Mama, chupa essa pica toda!!
Diante de uma pica daquelas, nem precisava me mandar chupar, mas eu obedeci e mamei, mamei muito; tentava colocá-la toda na boca, mas a grossura da cabeça até metade do corpo não facilitava a minha prática de garganta profunda. Ele só gemia...que boca gostosa...por uma boca dessa, eu largo qualquer buceta...porra, como sabe chupar pica. Essas palavras enchiam a mim e ao meu namorado de tesão...mamava sua picona e lambia seu saco peludo e pesado...subia com a língua do saco até a cabeça da pica...ele gemia e dizia coisas sem nexo...me olhava mamando sua pica, com cara de tarado, segurando minha cabeça e forçando-me, sem sucesso, a engolir toda a sua pica descomunal...dei uma atenção a Beto que tocava uma punheta com seu pau em ponto de bala, lambuzei-o inteiro, molhei meu cu com saliva e sentei naquela pica que meu cu conhecia tão bem...cavalguei Beto, enquanto Paulo me dava seu pau para mais um boquete...mas uma vez eu mamei aquela tora...Beto tirou do meu cu e deu a Paulo uma camisinha...quase nem coube no seu pau...labuzou de ky e se posicionou atrás de mim.
- Agora, quem vai te arrombar sou eu- disse ele.
- Vai, me fode, mostra pra Beto o que você sabe fazer.
Os olhos de Beto brilhavam de tesão, seu pau só faltava explodir...e Paulo foi metendo...senti cada prega do meu cu se alargando para agasalhar aquele monstro...doía muito...ele metia um pouco e tirava tudo...ficou assim, até sentir meu cu relaxado...quando percebeu que era a hora, ele disse:
- Segura que agora você vai sentir o que é pica!
Aquele homem, que era meio tímido, se transformou em um macho indomável...me fodia forte...me chamava de cadela, vadia, gostosa, puta...meu tesão a mil...e eu sentia seu saco bater em minha bunda...meu cu rasgado e minha boca entupida com o pau de Beto.
- Fode com força que ele gosta – Beto dizia.
E Paulo entendia cada palavra me fodendo cada vez mais forte...batia na minha bunda, puxava meu cabelo, empurrava minha cara ao encontro do pau de Beto...
- Olha só como ele gosta, uma pica na boca e outra no cu.- Disse Paulo.- Toma pica safado, sente meu pau te rasgando...
Beto, levado pelo tesão, gozou em minha boca...bebi seu leite quente e mostrei minha boca suja de porra para Paulo. Ele não se conteve...
- Bebeu porra, foi? – me perguntou
Eu afirmei com a cabeça que sim...
- Quer mais porra na boca?
- Sim, mas prefiro que você goze em cima de mim, em meu peito.
Ele anunciou...
- Vira de frente que eu vou te encher de porra!!
Eu me virei e logo recebi um enorme jato de porra pela cara.
- Aiiiiiii, porra, receba meu leite de macho...porra, que gozada gostosa...abre essa boca...aiiiiiiii.
Eu não abri a boca, mas recebi muita porra no peito...Paulo gozava como um cavalo, me deu um banho de porra que eu nunca recebi igual.
Eu gozei e minha porra se misturou com a dele, que escorria desde a minha cara até os meus pentelho...eu estava lavado de porra.
Relaxamos, fomos os três para o banho...lá, eu ainda recebi uma chuva dourada dada por Beto e por Paulo.
Tomamos banho, voltamos para o sofá, nus e felizes, bebemos mais algumas cervejas e depois de algum tempo, a putaria voltou a rolar...

Torne-se um membro e comente