Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Meu Amigo da Faculdade

Nunca fui bom jogador futebol, mas as vezes me atrevia indo jogar no sábado a noite na companhia de alguns colegas apenas por diversão e boa companhia. Sempre que iamos jogar, eu era chamado por dois colegas meu de faculdade, Sandro e Fabio. Como não eu não era muito bom, sempre ficava no gol agarrando as boladas hehe. Com essa brincadeira acabavamos nos divertindo bastante, e após o jogo eu dispensava a chance de manjar a rola do pessoal no banho do vestiário, pois sempre prefiria fazer isso em casa.
Certo dia, haviamos combinado de sairmos em uma balada, só que no mesmo dia também jogariamos bola nesta quadra que alugavamos. Como sairiamos tarde de lá, decidi pegar minha roupa, tomar banho no vestiário após o jogo e ir para o rolê direto da quadra. Chegando, tivemos uma partida normal de futebol até que chegou ao fim. Todos partiram até o vestiário e eu fiquei enrolando na quadra até que Sandro percebeu:
S - Thiago, não vai tomar uma ducha? Não podemos demorar, porque se não vamos perder o desconto na entrada.
Eu - Relaxa Sandro, vou esperar um pouco aqui porque o banheiro deve estar lotado.
S - Pois bem, vou esperar por você para tomarmos banho junto.
Não vejo nada de estranho nisso, pois nunca tivemos vergonha na nudez, até tomavamos pelado uma sauna em sua casa.
Após alguns boy sairem do banheiro, decidimos entrar. Entro no box normal e Sandro fica a um box a minha frente. Fabio já havia tomado banho e pedi para ele buscar minha toalha que havia esquecido no carro. A este momento, estavamos somente eu e Sandro no vestiário quando ele me solta:
S - Eai Thiago, como anda sua vida? Pegando muitas?
Eu - Ah, nada bem. Depois que terminei com a Fê não sai mais com ninguém.
Sandro não sabia sobre eu ser bi e então ficamos trocando alguns assuntos sobre namoradas quando ele fala:
S - Estou meio sem jeito, mas queria te fazer uma pergunta. Você curte homens também?
Meio desconfiado e ainda sem confiança de me abrir com ele, respondo:
Eu - Claro que não pô! Porque a pergunta?
S - Nada não.. Só curiosidade mesmo.
Sandro era um cara lindo, moreno de 1,90 com um par de braço forte que mais parecia um armário, e seu jeito garanhão era o maior comedor da sala.
Aquela pergunta me deixou pensativo e intrigado mas acabo não entrando mais no assunto. Junto com Fabio, fomos até a balada escolhida e começamos a curtir. Durante a noite, pude perceber que Sandro estava diferente de qualquer outro dia, pois de normal seria ele estar sarrando em um canto alguma mulher, ele estava bem quieto ao meu lado. Curtimos a noite e chegando o horário fomos embora, deixei o Fabio em sua casa e parti para casa do Sandro. Como de costume, eu dormiria na casa dele mas desta vez ele pede para mudar o caminho pedindo para que ele dormisse em casa pois havia brigado com seus pais e na minha casa ele ficaria a vontade pelo fato se eu morar sozinho. Chegamos em minha casa, tomamos banho e dou a opção dele dormir no sofá ou em minha cama que era de casal. Ele decide dormir junto comigo e logo pegamos no sono.
No outro dia, levanto antes dele e vou a padaria para comprar algo pas comermos. Chego e Sandro estava tomando banho, logo o chamo para cozinha e tomamos café juntos e resolvo perguntar:
Eu - Sandro, senti você estranho desde ontem a noite, aconteceu algo?
S - Eu acho que sim, pois pensei que não havia mentira entre nós.
Eu - Como assim, o que aconteceu?
S - Ontem te fiz uma pergunta e você mentiu. Vi em seu celular alguns aplicativos de relacionamento gay e confirmei. Você lembra daquele cara... era eu!
Nisso ele me conta sobre uma convera que tive com um carinha no app que até tinha mandado fotos minhas mas acabou não dando certo um encontro. Sua resposta me fez ficar mudo e ir até meu quarto. Deito em minha cama pensado bastante e percebo que ele está na sala. após bastante tempo decido sair e pergunto:
Eu - Se você estava no app conversando comigo, isso sigifica que você também curte? 
S - Eu sempre quis te falar, pois sempre tive uma queda por você. Após a convesa no app, precisava saber se era você mesmo ou algum perfil fake até que peguei seu celular um dia e vi.
Eu - Você deveria ter me falado antes. Confesso que nunca senti nada por você pois nós somos bastante parceiro, mas para sexo, ainda mais com você eu abro uma exceção e até algo a mais.
Ele se levanta, puxa eu pelos braços e me joga no sofá, fica só de cueca e senta sobre meu colo me dando um delicioso beijo. Retribuo seu beijo enfiando a minha mão dentro da sua cueca na sua bunda procurando seu cuzinnho. Aquele corpo másculo em cima de mim me fez ficar com um puta tesão, fazendo com que me esfregasse em todo seu corpo.
Após um tempo de sarrar, fomos para meu quarto já totalmente pelado procurando lubrificante e camisinha, coloco em minha rola e ele logo estranha:
S - Pô Thiago, eu não faço passivo não, curto só comer um rabo.
Eu - Agora que você quis, primeiro você vai tomar. 
Fui puxando ele até a beirada da cama o deixando de quatro e bastante resistente vai cedendo aos poucos. Forço a entrada que é logo seguido:
S - Para para.. Porra Thiago, não da não, está doendo bastante. 
Paro de meter nele e deito ao seu lado: 
Eu - O que você quer fazer então?
S - Deixa eu te comer!
Viro de lado e pegando uma camisinha jogando para ele. Ele começa a meter em mim de um jeito tão gostoso mostrando que ele sabia o que estava fazendo. Ele me joga de bruço na cama e com seu corpo todo em cima de mim começa a enfiar aquela deliciosa rola que devia ter uns 19 cm e sempre falando besteira em meu ouvido. Em contos anteriores tinha dito, falo que esta era a minha posição favorita, do qual ele atendeu meu desejo que havia falado para ele durante nossas conversar no app.
Ficamos nesta posiçãp por mais uns 15 minutos até que ele anuncia que gozaria, peço para gozar em minha barriga e falo:
Eu - Deixa eu te comer vai? Preciso aliviar meu tesão também, eu vou devagar.
Ele vira seu rabo para mim colocando bastante lubrificando e enfio dois dedos para ir acostumando. Em seguida, enfio minha rola no seu cu que mesmo com bastante dor ele deixa. Após algumas estocadas logo ele não reclama mais e fica na posicãp de frango assado. Enquanto metia nele, ia beijando sua boca e falando o quanto aquilo estava gostoso:
S - Nossa, é a primeira vez que dou meu cu, e espero que você me coma sempre!
Aquilo me deixou maluco logo tiro minha rola do seu cuzinho apertado e gozo em sua barriga, lambo toda aquela minha porra e concluo beijando ele. 
S - Da próxima vez a gente chama o Fábio, ele curte levar no rabo também. 
Eu - Vocês são uns safados! Nunca me contaram nada. 
Depois desta manhã, transamos mais duas vezes neste dia e a noite o levei para casa. Ele propôs que eu dormisse em sua casa pois não iria querer continuar a briga com seus pais. Aceito seu pedido e vocês já podem até imaginar o que fizemos..

Torne-se um membro e comente
rodape fixo Hotboys