Atendimento

CONTO ERÓTICO

imagem conto

Pegao no Parque

No domingo à tarde, estava eu – Breno – na casa da minha mãe. De repente, senti uma vontade enorme de uma “pegação” que me saciasse, afinal, fazia 5 dias que eu não gozava. Liguei para Pietro, um amigo gay também – e lá fomos nós para curtição. Antes, passei em casa, fiz uma limpeza anal, tomei banho, tirei a barba e fiquei pronto para uma boa sacanagem.
Chegando no parque – vulgarmente conhecido, o lugar, como MATA DO SU-SU, que significa MATA DO SUSSURO, ou seja, todos sussurram para que não haja interesses dos passantes. Já no escuro entre as árvores, vejo vários caras se pegando, pegando na rola, beijando-se e até alguns já fudendo bem gostoso. Nesse momento, fiquei muito excitado, porém não havia encontrado ninguém que me interessasse. Continuei andando, andando e de repente, vejo Leandro, um cara branquinho, magro, cabelos loiros, bundinha arrebitada. Puxei conversa e perguntei se ele estava a fim de uma “foda” bem gostosa. No mesmo instante, Pietro, o amigo que tinha ido comigo, já caminhava loucamente entre as árvores, desesperado para chupar um pau. Quando Leandro disse que sim, mudamos de lugar, atravessamos uma vala e caminhamos em direção a outro local com menos passantes. Ele me deu um beijo muito gostoso e sua língua procurou a minha violentamente. Beijamos-nos por um tempão e comecei a bolinar seu corpo. Primeiro, enfiei minha mão dentro da suas calças e comecei a enfiar o dedo no seu cuzinho, que latejava muito pedindo rola. Ele se abaixou e começou a me chupar – tenho 1,82 e ele tem por volta de 1,67. A chupada foi ficando mais gostosa e eu comecei a gemer, gemer muito com aquela boca quente e úmida sugando minha carne dura e desejosa de gozo. Para que pudéssemos sentir muito mais prazer, resolvei chupá-lo também....suguei seu pau bem gostoso e comecei a mordiscar o saco dele, depois levantei e o abracei por trás. Meu pau já não agüentava de tanta pulsação. Quando um ou outro transeunte passava mais perto, levantávamos a roupa para ficar a ponto de sair, mas eles saiam e nos deixavam à vontade. Vendo que tava tudo tranqüilo, pus a camisinha, passei um gelzinho KY básico e comecei a enfiar. Meu pau é grosso e isto sempre dificulta a penetração. Na dificuldade, meu tesão aumenta mais ainda e o segurei com força, socando a piroca até o talo...Leandro quase berrou e a sua bundinha tremia toda. Comecei a comê-lo socando minha vara de modo que ele percebeu que eu era seu macho e ele meu objeto de desejo. Seu cuzinho engolia tudo, eu o beijava, batia na sua bundinha, arranhava suas costas...e metia com prazer. Depois desse movimento, invertemos a situação: Leandro começou a me comer. Ele, apesar de passivo, tava louco pra fuder um cuzinho também. Passei um gelzinho em mim agora e abaixei, deixando que ele me penetrasse. Dei muito gostoso pra ele...depois, nos beijamos, nos sentimos pele a pele...e já cansados de tanta pegação, gozamos juntos...ele esporrou bastante, mas eu já gozei com força lançando o líquido viscoso a uma distância enorme...depois disso, continuamos abraçados por um longo tempo e voltamos para encontrar Pietro.
Essa narrativa aconteceu verdadeiramente e foi em Brasília recentemente. Sou branco, alto, 36 anos...pau grosso e muito caliente. Depois dessa noite, eu e o Leandro continuamos a nos encontrar e tudo indica que ficaremos juntos, pois nos gostamos um ao outro. Ele continua dando o rabinho pra mim na minha cama. Quando eu o como, costumo abraçá-lo e apertar seu corpo contra o meu e isto parece que o excita mais ainda.

Torne-se um membro e comente
rodape fixo Hotboys