imagem contoCONTO

Fui convidado para passar um final de semana prolongado na fazenda de um amigo do trabalho, ou melhor, do avô dele.
Saímos na quinta à noite e fomos para São José do Vale do Rio Preto, que fica logo após Teresópolis, no Rio de Janeiro.
Chegamos lá pelas 23:30hs e fomos recebidos pelo próprio dono da casa e sua esposa, que já estavam com um jantar caprichado esperando-nos.
Ficamos tomando vinho e batendo papo, quando deu 2:40hs da madrugada resolvemos nos deitar.
Disse que iria tomar um banho e me deitaria. Meu amigo foi para o quarto dele e eu para o meu. A casa tinha "apenas" nove quartos. Acreditem!
Quando estava no banho, senti a porta do quarto se abrir e perguntei se era o Paulo, meu amigo e escutei como resposta, não sou eu o Leunam. A porta do banheiro se abriu e ele estava com uma toalha na mão e disse - "esquecemos de te dar uma toalha de banho".
Agradeci e ele ficou me observando por um tempo e saiu.
Achei engraçado, uma pessoa que tem uns sete empregado dentro de casa ir levar uma toalha de banho. Pensei, deve estar querendo ser gentil.
Fui dormir, e quando acordei, fui lavar o rosto e escovar os dentes. Abri a porta do armário para guardar minha necessaire e para minha surpresa, dentro do armário haviam umas seis toalhas de banho e de rosto.
Maldei na hora. O Sr. Leunam era um coroa de uns 75 anos, com algo em torno de 1,90m de altura e meio forte ainda. Na verdade não era o meu tipo, mas era interessante.
O Paulo tinha minha idade na época, 32 anos e 1,68m, cabelos e olhos negros e uns 75kg.
Tomamos o café da manhã e a Sra Hercília, avó do Paulo disse para sairmos para andar a cavalo enquanto ela agitava o almoço.
Assim fizemos, fomos cavalgando e de repente avistei um lago. Perguntei se poderíamos ir até lá. Sr. Leunam disse que poderíamos ir onde eu desejasse.
Chegando lá, era um lago de águas claras, praticamente transparente. Estava de bermuda tactel e disse se poderia mergulhar. Sr. Leunam disse que sim, mas teria que ser pelado pois não queria que molhássemos a cela do cavalo.
Tirei minha roupa e mergulhei, logo depois o Paulo também. Foi quando eu reparei o tamanho da piroca do Paulo. Mole deveria ter uns 16cm.
Sr. Leunam ficou na margem observando e eu disse para ele entrar. Paulo também ficou falando e ele disse que então entraria também, mas que não sabia nadar direito. 
A caixinha do capeta funcionou novamente.
Disse-lhe para entrar que eu ficaria segurando ele na parte mais funda.
Quando o coroa tirou a roupa quase que eu me afogo.
Tinha uma piroca imensa, uma bunda durinha e lisinha e pelo na medida certa no peito e no pau.
Ele foi entrando e quando chegou no peito me aproximei e fiquei segurando ele, de repente, ele gira e se encaixa nas minhas costas e disse, assim é mais fácil. Ficou encostando o pau na minha bunda. Chegou um determinado momentos, que o Paulo percebeu e disse. "Vô, está de pau duro?"
Ele na maior cara de pau disse. "claro, você acha que é só você que deixa o meu pau duro?
Fiquei "rosa chiclete". O Vô e o neto já transavam e me levaram de isca.
Pensei: "bicha burra, pensando que estava pescando, tu eras o peixe fisgado...."
Ficamos os 3 agarradinhos, se beijando e se roçando, e eu com vergonha dos meus 17cm de pica, pois o coroa deveria ter uns 23cm e o Paulo uns 20cm de pica.
Certo momento, Sr. Leunam falou para sairmos da água um pouco e ficarmos no sol para esquentar.
Foi no cavalo e numa bolsa lateral pegou um tecido e forrou o chão para sentarmos.
Quando sentei, o coroa já se jogou sobre minha barriga beijando e me dando um verdadeiro banho de gato, enquanto o Paulo me botava para fazer uma gulosa.
O coroa mamou meu pau e brincou com minhas bola até não querer mais, enquanto o neto arrebentava minha boca com aquele caralhão.
Depois ele trocaram de posição e Paulo mamava meu pau e o coroa encheu minha boca com aquela anaconda.
Em certo momento, Paulo levantou minhas pernas e iniciou uma brincadeira na portinha do meu cu.
Foi empurrando lentamente até que entrou, meio dolorido mas entrou. Enquanto isto Sr. Leunam tirava o pau da minha boca e colocava na do Paulo e vice versa. Gemi e gritei muito até que ele pediu para o Paulo tirar que ele queria me comer.
Fiquei pálido só de pensar na situação.
Ele foi lentamente até a metade, quando estocou de uma vez e gritei até ficar tonto e quase desmaiei. Paulo chupando meu pau sentou nele e ficou cavalgando um mim enquanto o vô mandava ver no meu cu.
Depois ele saíram e o vô deitou de lado, meteu minha pica no rabo dele e o Paulo meteu e dele no meu.
Ficaram um pouco e o Võ se levantou e deitou atrás do Paulo e depois mandou eu me levantar e deitar atrás do Võ.
Ficamos fazendo este rodízio durante uns 50 minutos até que ninguém mais aguentou.
O Paulo Gozou no meu cu, eu gozei no do Vô e o vô gozou no tecido.
Tomamos mais um banho e fomos para casa para almoçar.
Chegando lá, a Sra. Hercília perguntou se tinha "dado" para conhecer bastante.
Eu respondi: "ÔÔÔÔÔ e como kkkk"
e assim foi todo o final de semana, menage com dois tesões.

Torne-se um membro e comente